Potiguar: Sem receita por conta do COVID-19, ABC demite roupeiro com 50 anos de casa

Trata-se de João Bernardo, também conhecido como Joca, que chegou ao Mais Querido com 14 anos

por Agência Futebol Interior

Natal, RN, 23 (AFI) - Sem receita por conta da pandemia de coronavírus, o ABC se viu obrigado a anunciar nesta segunda-feira (23) uma demissão em massa dentro do clube, que atingiu cerca de 30 funcionários. Dentre eles, a saída mais sentida sem dúvidas será a do roupeiro João Bernardo, que estava há 50 anos no clube e tinha muita história dentro dele.

Além dele, também foram desligados 'colaboradores' de diversos setores do clube: futebol profissional, futebol de base, administrativo, marketing, comunicação e programa de sócios torcedores. Na nota oficial, o clube afirma que tomou essa decisão por 'considerar vital para a continuidade das atividades do clube'.

Sem receita por conta do coronavírus, ABC demite roupeiro com 50 anos de casa (Foto: Andrei Torres)
Sem receita por conta do coronavírus, ABC demite roupeiro com 50 anos de casa (Foto: Andrei Torres)
Mesmo com a chance de voltar depois dessa crise, João Bernardo, conhecido por todos no clube como Joca erá o funcionário mais antigo do clube. Ele está no Mais Querido desde 22 de janeiro de 1970. Naquela époica ele tinha 14 anos, hoje 74 e virou súmbolo do clube. Tanto que foi personagem de diversos episódios da TV ABC onde contou diversas histórias.

CONFIRA A NOTA OFICIAL
O ABC Futebol Clube vem a público esclarecer a medida tomada nesta segunda-feira (23), em que realizou o desligamento de aproximadamente 30 colaboradores, ação considerada vital para a continuidade das atividades do clube.

A medida foi necessária em virtude do impacto econômico gerado pela pandemia do novo coronavírus, o COVID-19, que ocasionou a paralisação de todas as competições nacionais e estaduais, além da suspensão de patrocínios dos parceiros junto ao clube.

Sem a fonte de receita gerada através de jogos e sem receita prevista para a temporada, a não ser a última cota da participação na Copa do Nordeste 2020, valor que não existe previsão de repasse antes que seja realizada a última rodada da primeira fase, o clube não teria condições de pagar o seu quadro de colaboradores e se viu na necessidade de tomar tal medida.

A diretoria se reuniu durante todo o final de semana e a decisão foi tomada em cima daquelas atividades que não serão necessárias durante todo o período de paralisação e suspensão dos campeonatos. São colaboradores que estão em casa, ficariam sem função e sem receber salário, já que o clube não possui recursos disponíveis.

Pensando na manutenção financeira das famílias de nossos colaboradores, neste período em que o clube não conseguirá honrar os salários, o desligamento ao menos possibilitará o recebimento dos recursos do seguro desemprego à grande maioria dos demitidos, dando-lhes a oportunidade de prover para as suas famílias, bem como, buscar novas recolocações neste momento em que o clube ficará parado.

O clube ainda esclarece que, algumas situações, respeitando as orientações dos órgãos de saúde e respaldado pelo Departamento Jurídico, os funcionários que se enquadram no grupo de risco da contaminação não foram convocados a deixar suas casas e a comunicação do desligamento foi feita através de videoconferência ou mensagem.

Vale destacar que, na conversa com os colaboradores desligados, não foi descartada a opção de, em um segundo momento, depois de normalizada a situação envolvendo a pandemia do COVID-19, e havendo interesse mútuo, existir a recontratação dos profissionais para suas devidas funções.

O ABC Futebol Clube lamenta profundamente toda a situação, agradece a todos os profissionais pelos serviços prestados e faz votos que o panorama seja normalizado o mais breve possível.