Márcio Máximo termina curso PRO da CBF com olho no mercado em 2018

Ele sabe que o mercado é bastante dinâmico e se sente preparado para novos desafios na carreira

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 11 (AFI) - O experiente técnico Márcio Máximo (foto) não vê a hora de voltar a trabalhar. Animado por ter terminado o curso PRO da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o comandante voltou a analisar propostas de olho na temporada 2018. Ele sabe que o mercado é bastante dinâmico e se sente preparado para novos desafios na carreira.

"A reciclagem é importante em todas as atividades profissionais. Nos capacitam no Brasil e no exterior. Em função do Curso, pelas datas, não pude aceitar duas situações. Uma no Brasil e outra fora. Vamos aguardar já que o mercado é muito dinâmico e podemos definir algo em breve", comentou ele ao site Grande Área.

"(O curso PRO da CBF) Foi uma grande experiência, uma grande troca, podermos fazer parte de uma turma que contava com (Fábio) Carille, Eduardo Baptista, Vinícius Eutrópio, Wagner Lopes, Gama, Silas, Micale, Adilson Batista, Sérgio Soares entre outros renomados profissionais", completou.

Mais de Márcio Máximo:
Formado pela UFRJ e ex-atleta, o treinador Márcio Máximo, no início de sua carreira, trabalhou no Brasil nos seguintes clubes: Projeto de extensão da própria Universidade, CR Vasco da Gama (scout dos adversários), Mesquita (RJ), Barra da Tijuca (RJ) além de Seleções Brasileiras de base. Márcio também fez parte da comissão técnica da seleção.

Ele logo iniciou sua carreira internacional indo para o mundo árabe onde trabalhou na Seleção do Catar e Al Ahli da Arábia Saudita. Dirigiu também a Seleção Carioca de Profissionais que excursionou pela Europa fazendo alguns jogos amistosos.

O técnico também disputou as Eliminatórias da Copa do Mundo do Japão, dirigindo a Seleção das Ilhas Cayman, que contou durante um período com jogadores da Liga Inglesa. Surgiu então o convite para trabalhar na Grã Bretanha, onde foi treinador do Livingston, na época na Premier League Escocesa.

DUAS ELIMINATÓRIAS
Nos últimos anos esteve na África, onde comandou a Seleção da Tanzânia e disputou mais duas Eliminatórias de Copa do Mundo (Alemanha e África do Sul). Inclusive classificou a seleção pela primeira vez na história para a Copa Africana de Campeões (primeira edição).

Conseguiu levar a seleção do 167 lugar no ranking FIFA para 86, renovou a equipe (média de idade de 27 para 22 anos), além de abrir mercado para os jogadores tanzanianos na Europa (de um para oito jogadores).

Também é regularmente convidado para dar palestras na ABTF (Associação Brasileira de Treinadores de Futebol) e Sindicato de Treinadores do RJ. De perfil profissional, formador e renovador de equipes, tem tido seu trabalho reconhecido em vários continentes.

Nos últimos anos o treinador dirigiu o Democratas-MG, Francana-SP, Young Africans da Tanzânia, Prudentópolis-PR e Costa Rica-MS, além de ter feito a Licença A da CBF.