Feminino: Com reservas, Brasil faz 7 na Bolívia e avança em 1º na Copa América

Mesmo sem nomes como Formiga, Marta e Cristiane no time titular, o Brasil não tomou conhecimento da Bolívia

por Agência Estado

Campinas, SP, 13 - A seleção brasileira feminina de futebol voltou a golear nesta sexta-feira. Mesmo com as reservas e já classificada à próxima fase da Copa América, a equipe do técnico Vadão exerceu sua superioridade diante da frágil Bolívia e atropelou por 7 a 0, na cidade de Coquimbo, no Chile.

Com o resultado, o Brasil assegurou a primeira colocação do Grupo B, com 100% de aproveitamento. Após quatro partidas, são 12 pontos para a equipe, que marcou 22 gols e sofreu apenas um. Quem passou na segunda posição da chave foi a Argentina, que, mais cedo, venceu o duelo direto com a Venezuela por 2 a 0.

Desta forma, estão classificados para o quadrangular final: Brasil, Argentina, Colômbia e Chile. Na segunda-feira, a seleção encara as donas da casa, as chilenas. Quinta-feira, o duelo é contra as argentinas. Na última rodada, encara as colombianas.

BRASIL DESFALCADO

Mesmo sem nomes como Formiga, Marta e Cristiane no time titular, o Brasil não tomou conhecimento da Bolívia e marcou logo nos primeiros minutos, com Érika. Aos 17, Andressinha aproveitou sobra na entrada da área e bateu cruzado para ampliar. Ainda no primeiro tempo, aos 40, Andressa Alves cobrou falta, a bola desviou na barreira e entrou mansamente.

Apesar da vantagem, a seleção não diminuiu o ritmo na etapa final e ampliou logo aos nove minutos. Andressinha arriscou de longe e a goleira, inexplicavelmente, aceitou. Aos 20, Érika aproveitou cobrança de escanteio da esquerda para finalizar para a rede. Aos 39, Milene ampliou de cabeça. E aos 41, Aline marcou um gol olímpico para selar o resultado.

MUNDIAL 2019

O campeão e o vice do torneio sul-americano garantirão lugar direto no Mundial de 2019, na França, enquanto o terceiro disputará repescagem contra um representante da Concacaf em busca de outra vaga.

A seleção vencedora da Copa América também vai assegurar um posto na Olimpíada de Tóquio, em 2020, e a vice-campeã jogará repescagem contra uma nação da África por uma segunda vaga.

O Brasil faturou o título sul-americano em 1991, 1995, 1998, 2003, 2010 e 2014 e só não ficou com a taça de campeão em 2006, quando foi surpreendido pela Argentina na decisão realizada na casa da adversária. Com a ida à segunda fase, já garantiu vaga nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019.

 
 
" />