URGENTE! MP argentino tem acesso a grupo de Whatsapp das enfermeiras de Maradona

O Ministério Público da Argentina segue investigando uma possível "morte injusta"

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 18 (AFI) - A morte de Diego Armando Maradona segue sendo um caso misterioso na Argentina. Nos últimos dias, o Ministério Público do país teve acesso ao grupo de Whatsapp das enfermeiras que cuidaram do ex-craque no hospital.

Segundo as autoridades, a insistência pela investigação sobre o caso é para confirmar ou não uma possível "morte injusta" do ex-jogador argentino.


Investigação sobre a morte de Maradona segue em alta na Argentina. Foto: Twitter/Reprodução
Investigação sobre a morte de Maradona segue em alta na Argentina. Foto: Twitter/Reprodução

INJUSTIÇA COM DIEGUITO?

Com as conversas reveladas pelo MP argentino, as possibilidades de homicídio culposo aumentam pela imprensa local. Em uma das mensagens, uma enfermeira afirma:"Ele acabou de jantar e foi para o banheiro vomitar", após Maradona ter indigestão devido a uma refeição que foi servida ao craque.

Uma semana antes de sua morte, outra mensagem curiosa chegou no mesmo grupo. Uma cuidadora afirmou que o ex-jogador havia caído no quarto e depois afirmou:"Ele está bem, já tomou o remédio".

OS PILARES DA CARREIRA DE RAÚL JIMÉNEZ, CRAQUE DA SELEÇÃO MEXICANA. CONFIRA!

O CASO CONTINUA

No dia de sua morte, os médicos presentes no local não conseguiram reanimar Maradona, mesmo com a chegada da ambulância. Apesar das novas evidências, o Ministério Público argentino continuará investigando o caso para saber se houve ou não homicídio culposo no caso do ex-atleta.