ELIMINATÓRIAS EURO: Hungria bate Bulgária na repescagem e decide vaga com a Islândia

As seleções vão definir em 12 de novembro quem vai completar o "grupo da morte" da Eurocopa ao lado de Portugal, França e Alemanha

por Agência Estado

Campinas, SP, 08 - Hungria e Islândia vão definir em 12 de novembro quem vai completar o "grupo da morte" da Eurocopa ao lado de Portugal, França e Alemanha. Pela repescagem, nesta quinta-feira, os húngaros passaram bem pela Bulgária, enquanto a Islândia teve um jogo mais duro diante da Romênia.

A classificação húngara para a fase final da repescagem precisou de somente 17 minutos para começar a ser construída. Foi quando Orban abriu o marcador, mesmo jogando fora de casa. Kalmar e Nikolic ampliaram a vantagem para 3 a 0 no Vasil Levski Stadium, em Sofia, na Bulgária. O gol dos mandantes saiu no último minuto, com Yomov.

Os islandeses, que foram à Copa do Mundo pela primeira vez em 2018, na Rússia, passaram pela Romênia, por 2 a 1, com dois gols de Sigurdsson. Maxim descontou.

Islândia passou pela Romênia na repescagem da Eurocopa (Foto: Divulgação)
Islândia passou pela Romênia na repescagem da Eurocopa (Foto: Divulgação)

Outros três confrontos da fase decisiva para a Eurocopa de 2021 foram definidos nos 90 minutos. Geórgia e Macedônia também avançaram direto, ao passarem por Macedônia (1 a 0) e Kosovo (2 a 1), respectivamente.

EMOÇÃO

Os outros quatro duelos precisaram de prorrogação e três seleções só avançaram nos pênaltis. A Sérvia ganhou no tempo extra da Noruega, por 2 a 1, depois de 1 a 1 nos 90 minutos. O adversário da Sérvia é a Escócia, que fez 5 a 3 nos pênaltis diante de Israel, após 0 a 0 no jogo.

O último confronto será entre Irlanda do Norte e Eslováquia, que só se garantiram nas penalidades. Os eslovacos passaram pela Irlanda com 4 a 2 após 0 a 0. Depois de ficar no 1 a 1 com a Bósnia Herzegovina, a Irlanda do Norte foi mais precisa nos tiros livres e avançou com 4 a 3.

A 16ª edição da Eurocopa, em homenagem aos 60 anos do torneio, seria realizada em 2020. Mas, por causa da pandemia de covid-19, ficou para o período entre 11 de junho e 11 de julho do próximo ano,com doze sedes. Portugal defenderá o título.