Em retorno à seleção espanhola, Luis Enrique demite auxiliar: 'Foi desleal'

O técnico reassumiu a equipe cinco meses após deixar a função, de forma provisória, para cuidar de assuntos familiares

por Agência Estado

Campinas, SP, 27 - Uma semana após reassumir o comando da seleção da Espanha, o treinador Luis Enrique demitiu o auxiliar-técnico Robert Moreno nesta quarta-feira. Ele alegou que seu parceiro de trabalho foi "desleal" e demonstrou ter "ambição demais".

O técnico reassumiu a equipe cinco meses após deixar a função, de forma provisória, para cuidar de assuntos familiares. Sua filha Xana, de apenas nove anos, sofria com uma doença grave e acabou falecendo pouco depois, em agosto. Luis Enrique retomou o cargo no dia 19, na semana passada. Neste período, Moreno se tornou interino da seleção.

Em retorno à seleção espanhola, Luis Enrique demite auxiliar: 'Foi desleal'
Em retorno à seleção espanhola, Luis Enrique demite auxiliar: 'Foi desleal'
Nesta quarta, ele revelou que, ao voltar ao trabalho, ouviu pedido do auxiliar para que permanecesse na função até a Eurocopa de 2020. Moreno só pretendia devolver o cargo para Luis Enrique ao fim da competição continental.

"Para mim, isso é deslealdade. Eu jamais faria isso. E não quero ninguém com estas características trabalhando ao meu lado", declarou Luis Enrique. "Para mim, ter ambição demais não é uma virtude, mas, sim, um defeito. Eu compreendo sua posição, mas não concordo com ela."

FOI BEM
Sob o comando do então técnico interino, a Espanha terminou as Eliminatórias na liderança do seu grupo, conquistando a classificação com tranquilidade. O time terminou sua participação na competição de forma invicta, com oito vitórias e dois empates, além de 31 gols marcados e apenas seis sofridos.

Antes de reassumir agora a seleção espanhola, Luis Enrique esteve à frente da equipe nacional por 11 meses, após ser anunciado como dono do cargo em 9 de julho do ano passado. Neste período de quase um ano, ele teve um bom retrospecto, acumulando seis vitórias, três empates e duas derrotas em 11 partidas. Ele tem contrato até o fim da Copa do Mundo de 2022.