Ex-Palmeiras, Asprilla conta como impediu Pablo Escobar de matar Chilavert

O paraguaio era alvo de Julio Fierro, considerado um dos homens de confiança de Pablo Escobar

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 12 (AFI) - Faustino Asprilla fez uma revelação bombástica ao canal Telepacífico. O atacante revelou ter impedido que Pablo Escobar matasse o goleiro Jose Luis Chilavert após o duelo entre Colômbia e Paraguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 1998. O duelo ocorreu no dia 2 de abril de 1997, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. A seleção paraguaia venceu por 2 a 1.

"Recebi uma ligação e uma voz me disse: 'Meu nome é Julio Fierro. Venha ao meu hotel, temos que conversar', e me passou um endereço. Fui até lá e este homem estava com outras 10 pessoas, todas bêbadas, e muitas mulheres. O (ex-atacante) Aristizábal estava comigo, e eles nos disseram: 'Necessitamos que você nos dê autorização, porque vamos deixar dois homens aqui em Assunção para matar o gordo Chilavert'", disse Asprilla, que completou.

"Como assim? Vocês estão loucos? Vocês vão acabar com o futebol colombiano. Isso não pode acontecer. O que acontece no campo, fica no campo. Chilavert me deu um soco, fomos expulsos e isso fica aí'", finalizou.

Asprilla evitou a morte de Chilavert
Asprilla evitou a morte de Chilavert
NARCOTRÁFICO
Julio Fierro era o braço direito de Pablo Escobar, o principal narcotraficante da Colômbia até 1993, quando acabou morto. Na época, o futebol colombiano era dominado por narcotraficantes, que investiam em alguns clubes, como América, Envigado, Millonarios, entre outros.

O Cartel sempre foi considerado o principal suspeito da morte do zagueiro Andrés Escobar, em 1994, devido o gol contra marcado na derrota para os Estados Unidos, por 2 a 1, na Copa do Mundo.