Futebol Interior nas Eleições! Confira como foram os candidatos do Esporte

Dos eleitos, a grande vitoriosa foi a ex-jogadora de vôlei Leila, que foi a candidato mais votada ao Senado pelo Distrito Federal

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 07 (AFI) – O Portal Futebol Interior apresenta a performance dos candidatos do esporte que disputaram as eleições nesse domingo. A maior decepção foi o ex-craque e atual Senador Romário, que surgiu como favorito ao Governo do Rio de Janeiro, e ficou apenas em quarto lugar, não indo nem mesmo para o segundo turno.

Dos eleitos, a grande vitoriosa foi a ex-jogadora de vôlei Leila, que foi a candidato mais votada ao Senado pelo Distrito Federal, assim como ex-nadador Luiz Lima, eleito Deputado Federal pelo Rio de Janeiro.

Entre os cronistas esportivos, a novidade foi a eleição do polêmico e nem sempre coerente Jorge Kajuru que, sendo mesmo paulista, elegeu-se Senador pelo Estado de Goiás.

EX-CRAQUES SE REELEGEM E OS NOVATO FRACASSAM NAS URNAS

Dos treze jogadores que foram candidatos, apenas alguns que se candidataram à reeleição conseguiram vitória nas urnas. Assim, continuam sendo Deputado Estadual; Bebeto, no Rio de Janeiro; João Leite, em Minas Gerais e Bobô, na Bahia. E, Danrelei se reelegeu Deputado Federal no Rio Grande do Sul.

Dos ex-jogadores que não tinham mandato ou que nunca tinham disputado eleição, nenhum foi eleito e Deley, hoje Deputado Federal, não voltará à Câmara dos Deputados a partir de 2019.

COMO FORAM OS EX-JOGADORES

SÃO PAULO

Luizão (PRB) – Uma novidade na política, o ex-atacante revelado pelo Guarani e que atuou nos principais times do Brasil teve cerca de 15 mil votos e não se elegeu Deputado Federal.

Ademir Guia (PHS) – O maior ídolo da história do Palmeiras não conseguiu ser eleito Deputado Estadual, apesar de ter sido bem votado com cerca de 15 mil votos.

Zé Carlos (PR) - Lateral do Brasil na Copa do Mundo 1998, teve uma pequena votação de pouco mais de seis mil votos e não se elegeu Deputado Estadual.

Marcelinho Carioca (PODEMOS) – O ídolo do Corinthians foi o ex-jogador mais votado em São Paulo, com mais de 28 mil votos, mas não conseguiu uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Romário acabou ficando sem o cargo de governador do Rio de Janeiro
Romário acabou ficando sem o cargo de governador do Rio de Janeiro
RIO DE JANEIRO

Romário (PODEMOS) – O ex-craque da Seleção Brasileira foi candidato ao Governo do Rio de Janeiro ficando em quarto lugar e não foi para o segundo turno.

Deley (PTB) – O ex-jogador do Fluminense era candidato à reeleição para Deputado Federal e não teve a votação esperado e, com pouco mais de 21 mil votos, não se reelegeu.

Bebeto (PODEMOS) - Ídolo do Flamengo campeão do mundo em 1994, Bebeto obteve mais de 25 mil votos e continuará sendo Deputado Estadual.

Flávio Deinha (MDB) - ex-jogador do Vasco, Flamengo e pequenas equipes do Rio de Janeiro, disputou uma vaga para Deputado Estadual e, com uma votação pífia, não se elegeu.

BAHIA

Bobô (PCdoB) – O ídolo do Bahia nos anos 1980/90 teve mais de 54 mil votos e foi reeleito Deputado Estadual na Bahia.

MINAS GERAIS

João Leite, (PSDB) – O ex-goleiro do Atlético Mineiro, Guarani e Seleção Brasileira voltou a ser eleito Deputado Estadual com mais de 56 mil votos, já sendo “figurinha carimbada” na Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

PARANÁ

Paulo Rink (PR) – O ex-atacante do Atlético Paranaense e da Seleção Alemã foi bem votado com mais de onze mil votos, mas não conseguiu ser eleito Deputado Estadual.

Danrlei reeleito Deputado Federal no Rio Grande do Sul
Danrlei reeleito Deputado Federal no Rio Grande do Sul
RIO GRANDE DO SUL

Danrelei (PSD) – O ex-goleiro do Grêmio voltou a ser um dos mais votados no Rio Grande do Sul e, com mais de cem mil votos, continua sendo Deputado Federal.

Galatto (PPS) – O ex-goleiro do Grêmio não conseguiu copiar Danrlei nem de baixo das traves, nem nas urnas e com 37.500 votos não se elegeu Deputado Federal, apesar de ser o mais bem votado de seu partido.

COMO FORAM OS CRONISTAS ESPORTIVOS

Jorge Kajuru (PRP) – Um dos mais polêmicos e contraditórios cronistas do futebol brasileiro, elegeu Senador ficando com a segunda vaga pelo Estado de Goiás com mais de 1.500.000 votos.

Chico Lang (PRB) – O polêmico comentarista da TV Gazeta não conseguiu se eleger Deputado Estadual, tendo cerca de sete mil votos.

Campos Filho (DEM) – O ex-narrador teve mais de 13 mil votos, mas não conseguiu se eleger Deputado Estadual.

René Marcelo (MDB) – No Estado do Pará há menos de dez anos teve mais de 12 mil, mas não o suficiente para se eleger Deputado Estadual.

NO VÔLEI, MUITOS CANDIDATOS E SÓ UMA ELEITA

Leila (PSB) - A craque do vôlei foi eleita Senadora pelo Distrito Federal na legenda do PSB com a melhor votação entre os candidatos ao Senado, com exatos 467.787 votos.

Xandó (PSB) – O sucesso nas quadras não foi o mesmo nas urnas e teve pouco mais de 2.100 votos, não conseguiu se eleger Deputado Federal em São Paulo.

Rodrigão, (PSDB) – Assim como Xandó, não conseguiu se eleger Deputado Federal em São Paulos obtendo cerca de oito mil votos.

Dante (MDB) – Outro craque do vôlei que não conseguiu se eleger Deputado Federal. Disputando em Goiás, Dante foi bem votado tendo conquistado mais de 26.500 votos, sendo o segundo mais votado de seu partido.

OUTROS CANDIDATOS DO ESPORTE COM EX-NADADOR ELEITO FEDERAL

Luiz Lima (PSL) - O ex-nadador e medalhista, com 115 mil votos foi eleito Deputado Federal no Rio de Janeiro, sendo uma das surpresas na eleição carioca.

Chuí (PRB) – Ex-jogador de basquete anos 1980/90 teve 7.500 votos e não se elegeu Deputado Estadual em São Paulo.

Cyro Delgado (NOVO) – Também nadador e com muitas medalhas conquistadas, teve apenas 3.400 votos e não se elegeu Deputado Estadual no Rio de Janeiro.

João Derley (REDE) – O bicampeão mundial de judô, não conseguiu se reeleger Deputado Federal mesmo tendo mais de 52 mil votos. Assim como o ex-goleiro Galatto, João Derley foi o mais votado de seu partido, mas a REDE não elegeu nenhum Deputado Federal no Rio Grande do Sul.

Popó (PDT) – Mais uma vez o o ex-lutador de box não conseguiu se eleger Deputado Federal pelo Estado da Bahia e esse ano foi muito mal nas urnas tendo menos de cinco mil votos.

Maurren Maggi (PSB) - Não conseguiu eleger Senadora pelo Estado de São Paulo pelo PSB, tendo ficando em quinto lugar entre os candidatos ao Senador com quase três milhões de votos.

 
 
" />