Torcidas rivais se unem em manifestação anti-fascista em São Paulo

Houve choque com a PM; maioria das pessoas presentes no protesto usava máscara de proteção

por Agência Estado

São Paulo, SP, 31 - Um protesto na Avenida Paulista, em São Paulo, liderada por integrantes da organizada Gaviões da Fiel e que contou com outras torcidas, como a Porcomunas e as anti-fascistas dos quatro grandes clubes de Sâo Paulo, neste domingo, 31, terminou em confronto após ação violenta Polícia Militar.

Um grupo jogava pedras e outros objetos contra os policiais, que tentavam dispersar a multidão, até então pacífica, com bombas de efeito moral. Algumas pessoas fizeram barricadas com uma caçamba de lixo. Neste momento, a tropa de choque continua a avançar na avenida. De acordo com a PM, parte das envolvidos no confronto foi encaminhado à delegacia dos Jardins. Eles portavam canivetes e artefatos químicos.

DETALHES!
No início da tarde, manifestantes se reuniram em ato em frente ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). Os participantes gritavam "democracia", vestiam preto e usavam máscaras protetivas, em razão da pandemia do novo coronavírus. Vídeos nas redes sociais mostraram centenas de pessoas reunidas.

Espaço incorporado por HTML (embed)

A PM usou bombas de gás para dispersar o início de uma briga entre manifestantes em frente ao Masp na Avenida Paulista. A confusão começou por volta das 14h20. Dois grupos estavam na Paulista neste domingo. Os bolsonaristas, vestidos em sua maioria de verde e amarelo, estavam próximos à sede da Fiesp. A metros dali, em frente ao Masp, ocorria ato anti-Bolsonaro, denominado ato anti-facista.

Foto: Divulgação - Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Mais cedo, a Polícia havia separado os manifestantes. Ocorreu briga e confusão generalizada, que se estendeu pela Paulista. O disparo de bombas durou pelo menos 20 minutos.

No início da tarde, os integrantes da manifestação levavam faixas com dizeres como "somos democracia". Parte dos participantes é da torcida Gaviões da Fiel, do Corinthians. Eles cantam músicas da torcida organizada e paródias como "doutor, eu não me engano, o Bolsonaro é miliciano".

MANIFESTAÇÕES POR TODO O BRASIL!
A assessoria de imprensa da Gaviões da Fiel informou que não organizou a manifestação, mas que o ato é "legítimo" por defender a democracia.

Espaço incorporado por HTML (embed)

Em Belo Horizonte, um grupo de pessoas também organizou um protesto contra o presidente Jair Bolsonaro. A manifestação traz cartazes de torcidas organizadas de clubes de futebol, como Resistência Alvinegra e Galo Antifa.

No Rio, um grupo de torcedores da Democracia Rubro-Negra também fez ato contra Bolsonaro, na orla da Praia de Copacabana. Rio. Em meio à divisão entre as duas manifestações, um policial militar afirmou ao deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) que tinha mandado queimar uma bandeira do grupo contrário ao presidente.