Justiça nega liberdade a ex-Ponte, Santos e Corinthians por furtar R$ 8 mil

Essa foi a segunda vez que Piá tentou sair com habeas corpus

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 29 (AFI) - A Justiça de São Paulo negou habeas corpus para soltar Piá, ex-jogador de Ponte Preta, Santos e Corinthians. Ele está preso, em Limeira, acusado de roubar R$ 8.386,77 em caixas eletrônicos na cidade de Cordeirópolis, interior de São Paulo.

"Mantenho a prisão preventiva daqueles que estão nesta condição no processo. Não existem nos autos argumentos capazes de superar as premissas da decisão que determinou a segregação cautelar. Além disso, não se constata qualquer alteração do estado de fato ou de direito que autorize sua revisão", diz a sentença do juiz José Henrique Oliveira Gomes.

"Sem prejuízo dos argumentos lá desenvolvidos, que ficam ora ratificados e incorporados, a medida continua sendo adequada, necessária e proporcional, notadamente se considerada a periculosidade concreta demonstrada pelo indivíduo, e a existência de indícios suficientes de autoria da prática de crime que autoriza a prisão preventiva", completou.

Piá vai continuar preso. (Foto: Reprodução)
Piá vai continuar preso. (Foto: Reprodução)
Essa foi a segunda vez que Piá tentou sair com habeas corpus. Ambas negadas. Agora, ele só poderá tentar novamente em novembro. Hoje, com 46 anos, Piá foi preso ao lado do seu comparsa Humberto de Oliveira Leite.

Ficha corrida!
Piá pendurou as chuteiras em 2011 e, desde então, tem tido problemas com a Justiça. Em 2014, ele foi detido por furto em Campinas. No ano seguinte, Piá foi preso em Americana também por furto. Ele ainda foi preso em Bauru tentando furtar caixas eletrônicos.

Reginaldo Rivelino Jandoso, conhecido como Piá, também teve problemas em seu tempo de bola. Em 1999, na Ponte Preta, ele foi indiciado como coautor do assassinato de um mecânico em Limeira. Nesse caso, ele foi absolvido.