CRB X Guarani - Duelo de sexta pela Série B é cercado de curiosidades

Última vitória dos alagoanos, artilheiro e técnicos com história nos dois clubes estão entre as semelhanças dos dois clubes

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 10 (AFI) - A Série B do Campeonato Brasileiro retorna nesta sexta-feira para Guarani (vice-lanterna com cinco pontos) e CRB (13º com dez). A partida será disputada no estádio Rei Pelé, em Maceió, local da última vitória do time alagoano contra o Bugre, em 17 de novembro de 2012.

Em Maceió, CRB venceu o Bugre. (Foto: Itawi Albuquerque/Agência Estado)
Em Maceió, CRB venceu o Bugre. (Foto: Itawi Albuquerque/Agência Estado)
O placar foi de 2 a 1, de virada. O Alviverde saiu na frente com Medina, aquele mesmo herói do dérbi pela semifinal do Campeonato Paulista do mesmo ano com dois gols, e Denilson e Paulo Victor balançaram as redes para o time vencedor.

Naquela temporada, os dois times foram rebaixados para a terceira divisão nacional, junto do Ipatinga, hoje disputando a modesta Série B de Minas Gerais, e Grêmio Barueri, que hoje já não existe mais. Porém, as coincidências que envolvem esse duelo não param por aí.

TÉCNICO

Roberval tem passagens pelo CRB. (Foto: Arquivo)
Roberval tem passagens pelo CRB. (Foto: Arquivo)
Roberval Davino, hoje no Comercial-SP, era o comandante do CRB e é tido até hoje como um dos principais técnicos da história do clube. No total, defendeu o time em 11 temporadas diferentes.

O alagoano de 64 anos também vestiu as cores do Guarani em 14 jogos em 2007, ano em que teve uma dessas passagens pelo clube alagoano.

Um pouco dessa idolatria vem dos tempos de jogador. Como atleta foi destaque do CRB na década de 1970, atuando de 1969 a 1978 de forma ininterrupta até se transferir ao XV de Jaú.

MESES ANTES...

Em agosto, jogando no Brinco de Ouro, o Bugre venceu o CRB por 4 a 0, em partida válida pelo primeiro turno. Danilo Sacramento abriu o marcador e o atacante Schwenck fez outros três gols.

O centroavante do Bugre colocava em prática a lei do ex, já que havia jogado no CRB entre 1999 e 2000. No ano seguinte a essa partida retornou ao clube alagoano.

Além disso, Roberto Fonseca, estreante no comando técnico bugrino nesta sexta, era o treinador do CRB nesta goleada.

HOJE

Se Fonseca aguarda o jogo para fazer sua estreia oficial (uma vez que já comandou o time em jogos-treinos e amistosos), do outro lado, Marcelo Chamusca também conhece bem o Bugre.

Em 2016 levou o clube da Série C do Campeonato Brasileiro para a B, conquistando o acesso após vencer o ASA por 3 a 0, em Campinas, e se recuperar da derrota por 3 a 1, na casa do rival, uma semana antes.

Fonseca vai estrear pelo Bugre. (Foto: Letícia Martins/GuaraniPress)
Fonseca vai estrear pelo Bugre. (Foto: Letícia Martins/GuaraniPress)
RETROSPECTO GERAL

De 1973 ao último encontro em 2018, foram 12 jogos entre as equipes (cinco no Brinco de Ouro e sete no Rei Pelé). O Bugre venceu quatro vezes, perdeu duas e há ainda outros seis empates.

O curioso é que na casa do CRB, local do confronto desta sexta-feira, o Guarani nunca venceu. As duas derrotas na história do duelo foram lá e ainda empatou outras cinco vezes no território adversário.

PRIMEIRO JOGO ENTRE AS DUAS EQUIPES FOI EM 1973

Ainda em relação à partida da noite dessa sexta-feira, o primeiro confronto em Guarani x CRB, foi em 1973, no primeiro ano que o time campineiro disputou o Campeonato Brasileiro, tendo feito boa campanha.

No jogo realizado em Campinas no dia 14 de outubro, houve empate em 1 a 1, tendo desagrado a torcida bugrina segundo relato do "Jornal dos Sports", edição de 15 de outubro de 1973.

"OLHO NO LANCE" - SÍLVIO LUIZ ERA O BANDEIRINHA

Como curiosidade, um dos "bandeirinhas" da partida foi Sílvio Luiz, à época árbitro da Federação Paulista de Futebol e que anos depois viria a ser um consagrado narrador esportivo da televisão brasileira e que ainda hoje, aos 85 anos, está em atividade trabalhando da Rede TV.

FICHA TÉCNICA

Guarani 1 x 1 CRB

Estádio Brinco de Ouro, em Campinas

Data: 14/10/1973

Árbitro: José Mário Vinhas (RJ)

Auxiliares: Silvio Luiz e Max Falsetta (SP)

Gols: Silva, aos 16'/1º Tempo e Alfredo (falta), aos 19'/2º Tempo

Equipes:

Guarani: Sérgio Gomes; Wilson Campos, Joãozinho, Amaral e Bezerra (Jair Picerni); Flamarion, Alfredo e Zé Ito; Barnabér (Dilson), Lola e Mingo.

Treinador: Zé Duarte

CRB: Renato; Haroldo, Zé Carlos, Major e Altair; Roberto Menezes, Reinaldo e Gilmar; Orlandinho (Tadeu), Silva e Sarão.

Treinador: Wilson dos Santos