Guarani e Ponte formam um time de contratações erradas em 2019. Confira!

As duas diretorias erraram bastante e não é a toa que os elencos estão sendo reformulados com a Série B em andamento

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 17 (AFI) - Apesar da boa campanha realizada pela Ponte Preta neste início de Brasileiro da Série B, o início de 2019 não tem sido muito bom para os times campineiros, tanto que o Guarani amarga a penúltima colocação do campeonato nacional.

Assim como a Macaca, o Bugre não conseguiu a classificação para as quartas de final do Paulistão. Ambos foram eliminados precocemente na primeira fase da Copa do Brasil. O Guarani caiu para o Avenida-RS e a Ponte Preta acabou sendo eliminada pelo Aparecidense-GO.

Assim como nos anos anteriores, as duas diretorias erraram em algumas - ou várias - contratações feitas para essa temporada. Não é a toa que os dois elencos passaram por mudanças após as decepcionantes campanhas realizadas no Brasileirão.

O técnico Vinícius Eutrópio teve apenas 20% de aproveitamento nos jogos que comandou o Guarani
O técnico Vinícius Eutrópio teve apenas 20% de aproveitamento nos jogos que comandou o Guarani
O Portal Futebol Interior fez um time dos reforços que não vingaram com as camisas de Guarani e Ponte Preta. Alguns deles já tiveram seus contratos rescindidos ou foram negociados, enquanto outros ainda estão nos elencos, mas que são alvos de críticas dos torcedores.

Alguns não entraram no time titular, mas aparecem como opções no banco de reservas, como o lateral-direito Léo Príncipe (Guarani), o zagueiro Diego Giaretta (Guarani), o meia Matheus Oliveira (Ponte Preta) e os atacantes Júlio César (Ponte Preta) e Hugo Cabral (Ponte Preta), além do técnico Osmar Loss (Guarani).

CONFIRA ABAIXO O TIME DE REFORÇOS QUE NÃO DERAM CERTO

Goleiro: Giovanni (Guarani)

Contratado depois de passar oito temporadas na reserva de Victor no Atlético-MG, Giovanni assumiu a titularidade durante o Paulistão, mas mesmo assim não passa confiança aos torcedores. Muitos deles, inclusivem, pedem a entrada de Jefferson Paulino, que chegou após ser eleito o mehor goleiro do Campeonato Carioca defendendo o Bangu.

O lateral Luis Ricardo não retornou bem para a Ponte Preta e foi dispensado
O lateral Luis Ricardo não retornou bem para a Ponte Preta e foi dispensado
Lateral-direito: Luis Ricardo (Ponte Preta)

Retornou depois de 11 anos da sua primeira passagem pelo Moisés Lucarelli, mas não foi bem. Atuando como lateral, Luis Ricardo disputou 14 jogos e foi dispensado no início de maio junto com Igor Henrique (hoje no Guarani) depois de cometer ato de indisciplina em Curitiba.

Zagueiro: Xandão (Guarani)
Revelado na base do próprio Guarani, Xandão teve sua volta comemorada pelos torcedores bugrinos. Mas as opiniões mudaram depois que ele entrou em campo. Foram sete partidas e algumas atuações desastrosas, como a na derrota para o Atlético-GO, quando cometeu um erro bizarro no gol que deu a vitória ao adversário.

Anunciado como
Anunciado como "presente de natal" para a torcida, Victor Ramos pediu dispensa após quatro jogos pelo Guarani
Zagueiro: Victor Ramos (Guarani)

Anunciado como "presente de natal" para a torcida em dezembro do ano passado, Victor Ramos defendeu o Guarani em apenas quatro jogos antes de pedir a rescisão contratual alegando problemas particulares. Poucos dias depois, fechou com o Vitória.

Lateral-esquerdo: Giovanni Palmieri (Ponte Preta)
É um dos jogadores que estão encostados na Ponte Preta. Depois de fazer boas partidas pelo América-MG, Giovanni Palmieri chegou para brigar por uma vaga entre os titulares com Diego Renan, mas não soube aproveitar as oportunidades que teve. Foram dez jogos pela Macaca.

Volante: Mantuan (Ponte Preta)
Chegou em dezembro do ano passado para ser titular absoluto, mas, por conta de um desequilíbrio muscular, ficou o primeiro semestre todo sem jogar. Retornou ao Corinthians para se recuperar e agora está novamente à disposição do técnico Jorginho. Ainda não entrou em campo, mas sua contratação já pode ser considerada um equívoco. Pelo menos por enquanto.

O volante Fernandes não teve uma boa passagem pelo Guarani e hoje está no São Bento
O volante Fernandes não teve uma boa passagem pelo Guarani e hoje está no São Bento
Volante: Fernandes (Guarani)

Emprestado pelo Botafogo-RJ depois de ter feito uma boa Série B no ano passado defendendo o Atlético-GO, Fernandes não conseguiu se firmar no Guarani. Foram apenas sete jogos. Dispensado recentemente pela diretoria, o volante se transferiu para o São Bento.

Meia: Carlinhos (Guarani)
Dispensado na semana passada, Carlinhos chegou por empréstimo junto ao Standard Liége-BEL e desde a sua primeira partida vinha sendo criticado pelos torcedores. O meia disputou só seis jogos e a última partida que fez foi no dérbi campineiro, pelo Paulistão.

Meia: Renato Kayzer (Ponte Preta)
Foi emprestado pelo Cruzeiro no final de março como uma das principais contratações para a disputa da Série B, mas sua passagem pelo Moisés Lucarelli durou menos de um mês. Foram apenas dois jogos até pedir para ser dispensado alegando insatisfação. Pouco depois, acertou com a Chapecoense.

Thalles fez poucas partidas boas pela Ponte Preta e sequer vem sendo relacionado
Thalles fez poucas partidas boas pela Ponte Preta e sequer vem sendo relacionado
Atacante: Álvaro (Guarani)

Destaque nas categorias de base do Internacional, Álvaro foi emprestado ao Guarani para brigar pela titularidade no ataque, mas disputou apenas cinco jogos e não marcou nenhum gol. Sem espaço, o jogador de apenas 21 anos retornou ao Colorado.

Atacante: Thalles (Ponte Preta)
Chegou ao Moisés Lucarelli como uma das principais contratações da Ponte Preta na temporada e, apesar de ter feito algumas boas partidas no Paulistão - como no dérbi -, teve um desempenho muito aquém do esperado. Marcou cinco gols em 19 jogos. A diretoria vem procurando um novo clube, já que perdeu espaço com a chegada de Roger e sequer foi relacionado nas últimas rodadas da Série B.

Técnico: Vinícius Eutrópio (Guarani)
Na quarta-feira da semana passada, a diretoria do Guarani anunciou a saída de Vinícius Eutrópio, que havia sido contratado para o lugar de Osmar Loss. Sob seu comando, o Bugre teve um aproveitamento de 20%, com cinco derrotas, dois empates e apenas uma vitória. O futebol apresentado irritou a torcida e, mesmo assim, o treinador insistia em falar que estava vendo evolução no time.