Roberval Davino analisa o futebol e sua administração

Um dos principais técnicos do esporte brasileiro lamenta o pouco de atenção dado aos clubes menores do país

por Agência Futebol Interior

Acho que já passou do tempo em que federações, confederações e tudo que se relacione com o futebol não tenham como objetivo somente os lucros. Portanto, no Brasil, o ápice de sua administração vem a cada quatro anos, com as Copas do Mundo. O que se gasta é exorbitante.

Salários de 99% de atletas, que trabalham em outros países, com concentrações em hotéis fantásticos, passagens e uma infinidades de despesas com convidados de tudo que é tipo, menos o compromisso com o futebol.

Enquanto isso, temos 90% dos clubes brasileiros trabalhando ou se virando com apenas quatro meses de trabalho - e sem nenhuma alternativa de recuperação dessas equipes.

Roberval Davino analisa o futebol e sua administração
Roberval Davino analisa o futebol e sua administração
Que tal repensar estes gastos desnecessários em prol de alternativas de competições para estas equipes, que têm histórias, foram e continuam sendo parte do futebol brasileiro?

Lamento muito o rumo dado ao futebol e como está sendo direcionado. Tenho até falado com amigos sobre o momento do futebol no país. Nesse grupo, todos trabalharam em no mínimo 15 equipes no país, em equipes medias. Então, não têm conhecimentos atualizados para serem levados em consideração? Esta preocupação existe, e espero que alguém de bom senso, que pense no futebol, veja também como um meio de inclusão na sociedade.

 
 
" />