Sem acordo salarial, guerreiro da Ponte fica mais perto do São Paulo

O time também perdeu outros titulares como Renê Júnior, João Paulo e Roger

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 03 (AFI) – O destino do volante Baraka deve mesmo ser o São Paulo. O gerente de futebol da Ponte Preta, Marcus Vinícius, praticamente confirmou a saída do meio-campista. De acordo com o dirigente, o lado financeiro acabou pesando nas negociações para a renovação contratual.

Baraka marca jogador vascaíno

“Infelizmente, será muito difícil a permanência do Baraka. A Ponte tem um limite salarial e ela chegou ao limite dela. Ainda não temos condições de competir com os grandes clubes, que chegam e pagam salários de R$ 200 mil, R$ 300 mil”, afirmou.

Segundo o cartola alvinegro, a Macaca havia deixado tudo acertado com o Mogi Mirim, que detém os direitos econômicos do jogador. O problema que o empresário do atleta, Eduardo Uram, não aceitou a proposta financeira feita pelos campineiros.

Atualmente com 26 anos, Baraka foi o jogador mais regular da Ponte no Brasileirão. Embora seja primeiro volante, participou de 37 dos 38 jogos do time alvinegro. Ficou fora apenas da vitória sobre o Cruzeiro, por 1 a 0, por ter recebido o terceiro amarelo.

Vai-e-fica!
Quem também está de saída é o volante Renê Júnior, de 23 anos, que está de saída para o Santos. “O empresário dele (Eduardo Uram) não está cedendo. Temos prioridade na compra dos direitos econômicos do jogador, mas mesmo assim os direitos federativos não viriam para a Ponte. A Ponte não pode comprar o atleta e ele não vestir a camisa do clube”, argumentou.

Luan vai ficar na Ponte em 2013

Por outro lado, outros dois jogadores estão garantidos na Ponte para 2013, ao menos que alguém opte por desembolsar uma quantia em dinheiro. Na mira do Atlético-MG, o atacante Luan teve 40% de seus direitos adquiridos por R$ 1,2 milhão pela Ponte, que tinha prioridade na compra.

Já o zagueiro Cléber, que interessa ao Palmeiras, tem contrato com o clube campineiro até o final de 2015. Os alvinegros possuem 60% dos direitos do defensor e multa rescisória está estipulada em cerca de R$ 3 milhões.

Dispensas
Nesta segunda-feira, 11 jogadores tiveram contratos encerrados e deixam a Ponte. Entre eles, os goleiros Roberto e Gustavo; dos laterais Gerônimo, Camozzato e João Paulo; os volantes Lucas e Somália; os meias Tony e Ricardinho; e os atacantes Bruno Nunes e André Luiz. Os meias Gérson e Enrico e o atacante Roger também deixarão o clube.

 
 
" />