Torcedor da Ponte Preta pode assinar contrato com garantia de multa alta?

Treinador Eduardo Baptista diz que torce para o clube, mas procurou se garantir na renovação de contrato

por ARIOVALDO IZAC - Campinas

Ultimamente ando ouvindo e lendo conversas cuja conta não fecha.

No horário político eleitoral, quando abrem-se as cortinas para que candidatos a prefeito de Campinas falem, ouvimos coisas desconexas. No mínimo teriam que explicar em detalhes como colocar em prática promessas no setor de transporte.

Uma candidata projeta redução de tarifa de ônibus a R$ 1, sem esclarecer claramente quem complementará o valor da tarifa.

Outro candidato se gaba de ter criado o passe universitário, com redução do valor da tarifa, e agora promete o passe gratuito ao desempregado que procura emprego, sem citar quem cobre o rombo: usuário ou prefeitura? Claro que as empresas de ônibus nada perdem.

Outro postulante ao cargo de prefeito fala em interligação de linha de ônibus de bairro a bairro, e exemplifica itinerário que liga Parque Oziel ao distrito de Sousas, como se tivesse demanda compatível de usuários.

EDUARDO BAPTISTA

A fala também não bate com a realidade quando o treinador da Ponte Preta, Eduardo Baptista, repete a todo instante que é torcedor do clube, e renova contrato fixando valor elevado de multa em caso de rescisão bilateral.

Quem torce para algum clube jamais teria a coragem de um dia, caso seja demitido, receber qualquer valor de multa. Será que estou citando alguma bobagem? Será que não estou acompanhando os novos tempos?

Nada contra a renovação de contrato do profissional até dezembro de 2017. Inquestionavelmente ele mostrou comando absoluto do elenco, e isso é fundamental para que as coisas não descambem.

Nas suas mãos o time atingiu o ápice da forma física. Ótimo. A estrutura tática não difere daquela colocada em prática principalmente pelo treinador Guto Ferreira, com forte malha de marcação desde o meio de campo e velocidade nos contra-ataques.

PRÉ-JOGO

Como é raro identificar treinador completo, que saiba trabalhar com notoriedade o pré-jogo e bola rolando, o apego é por uma das duas virtudes.

O pré-jogo de Eduardo Baptista é aceitável, com uma ou outra restrição. Está claro, no entanto, que ainda precisa amadurecer para clara leitura no transcorrer das partidas. Como é estudioso e interessado, pode-se projetar que futuramente terá o necessário discernimento para tomada de decisões.

Por sinal, o furo sobre renovação de contrato do profissional da Ponte Preta foi dado pelo jornalista Elias Aredes Júnior, no portal Só Dérbi.

Aredes é um profissional da antiga escola do jornalismo que não espera a informação cair no colo, não faz conchavo com cartolas, e cria fontes paralelas para manter a independência. Parabéns.

ARIOVALDO IZAC
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos