Embora tarde, ainda é válida a chegada do atacante Eliandro no Guarani

Reforço fará no máximo seis jogos pelo time bugrino nesta temporada

por ARIOVALDO IZAC - Campinas

Convenhamos que o Departamento de Futebol do Guarani deu uma tacada certa ao trazer, mesmo que tardiamente, um centroavante.

Se o atacante Eliandro vai vingar no clube, só o tempo dirá, embora tenha pautado a carreira por altos e baixos.

No bem entrosado time do Batatais, na última edição do Paulista da Série A2, ele marcou nove gols. Ótimo.

Por que a fonte secou no Bragantino, com apenas três gols?

Por que o Bragantino - que faz campanha irregular no Campeonato Brasileiro da Série B - concordou em liberá-lo, mesmo tendo entrado dinheiro no negócio?

PONTA DA LÍNGUA

Seja como for, os dirigentes do Guarani terão resposta na ponta da língua ao final do Campeonato Brasileiro da Série C.

Se o Guarani atingir o objetivo de acesso, dirão que o prometido centroavante foi contratado.

Na hipótese da fatalidade, do acesso ser adiado, argumentarão que o atleta integrará o elenco na próxima temporada, e que não houve omissão da diretoria sobre a vinda do centroavante.

De mais a mais, o encaixe de um centroavante em uma equipe teoricamente é mais fácil de que as outras posições.

Por que? Porque ele é dependente da engrenagem que cria as jogadas, ou que alça a bola na área pra ver aquilo que acontece.

Portanto, não estranhem se Eliandro se adaptar rapidamente ao time bugrino, mesmo com aproveitamento em no máximo seis jogos nesta temporada.

ARIOVALDO IZAC
Jornalista esportivo há 35 anos. Trabalhou, como jornalista, nas emissoras de Rádio Brasil, Educadora, Central, Jequitibá e Capital (São Paulo). Nos jornais: Diário do Povo e Jornal de Domingo, ambos de Campinas, e editor de Economia e Opinião do Jornal Todo Dia, de Americana.
Veja perfil completo
Veja todos