Onde Anda: Paulo Nunes, ex-atacante de Grêmio e Palmeiras

por Agência Futebol Interior

Nascido em 30 de outubro de 1971, Paulo Nunes tem 38 anos, mas surgiu para o mundo do futebol em 1990, então com 18 anos. Revelado na base do Flamengo, jogou ao lado de Júnior Baiano, Leandro, Leonardo, Zinho, Júnior, Marcelinho e Bebeto. Foi campeão da Copa do Brasil em 90, campeão carioca em 91 e brasileiro em 92, mas, após 156 jogos e 34 gols, deixou a Gávea, no final de 94, sem muito alarde.Campinas, SP, 17 (AFI) - Arílson de Paula Nunes, ou simplesmente Paulo Nunes, é mais um daqueles jogadores que foi revelado por um clube, mas brilhou de fato por outros. Assim como Marcelinho Carioca, Marquinhos e Júnior Baiano, o atacante surgiu no Flamengo, mas se destacou mesmo com as camisas de Grêmio e Palmeiras. Hoje, o Diabo Loiro atua como empresário de futebol e também joga showbol pelo time gaúcho.

Confira:
Onde Andam: Campeões mundiais pelo São Paulo em 92/93

Em janeiro de 95, Paulo Nunes foi comprado pelo Grêmio, a pedido do técnico Luiz Felipe Scolari. Sua rapidez no Flamengo chamou a atenção do treinador gaúcho, que buscava um parceiro para jogar ao lado do grandalhão Jardel. Sua escolha não poderia ter sido mais acertada. Paulo Nunes viveu sua grande fase pelo Tricolor gaúcho.

Em dois anos e meio, foram seis títulos. Em 95, vieram o Campeonato Gaúcho e a tão sonhada Libertadores - além, é claro, do vice-campeonato mundial. No ano seguinte, Paulo Nunes ajudou o Grêmio a vencer novamente o Gauchão e mais a Recopa Sul-Americana e o Campeonato Brasileiro. No primeiro semestre de 97, foi campeão da Copa do Brasil.

Decepcionante na Seleção e na Europa!
As grandes atuações pelo Grêmio fizeram Zagallo dar uma chance ao Diabo Loiro na Seleção Brasileira. Por isso, foi convocado para disputar a Copa América de 97, como reserva de Romário e Ronaldo. Brigando também com Edmundo, teve apenas duas chances na Bolívia e nunca mais foi chamado por nenhum outro treinador.

Após a Copa América, foi comprado pelo Benfica-POR, time que defendeu por apenas seis meses. Em seu curto tempo em Portugal, Paulo Nunes não se adaptou, por causa de lesões e desentendimentos com alguns jogadores. Com isso, voltou ao Brasil em janeiro de 98, comprado pela Parmalat, para jogar pelo Palmeiras.

Tão bom quanto no Grêmio!
Se já tinha feito sucesso no Sul, Paulo Nunes jogou tão bem no Palmeiras quanto jogava no Grêmio. Novamente com Felipão no comando, o atacante logo de cara venceu a Copa do Brasil de 98, sobre o Cruzeiro. Foi o terceiro título da competição nacional conquistado por Paulo Nunes, que já havia vencido por Grêmio e Flamengo.

Ainda em 98, Paulo Nunes ajudou o Verdão a conquistar a Copa Mercosul. A grande glória aconteceu em 99, quando o Diabo Loiro - e mais um elenco cheio de estrelas, como Arce, Júnior, César Sampaio, Zinho, Alex e Oséas - venceu a Libertadores pela segunda vez. O vice-campeonato mundial, após derrota para o Manchester United, encerrou a trajetória do atacante pelo Palmeiras, em dezembro de 99.

Decadência...
Após deixar o Palmeiras, Paulo Nunes voltou para o Grêmio, onde começou a derrocada de sua carreira. Jogou lá durante toda a temporada de 2000, mas nem de longe repetiu o sucesso, mesmo ao lado de Ronaldinho Gaúcho.

Fechou com o Corinthians em 2001. No Parque São Jorge, foi campeão paulista, mas, ameaçado por alguns torcedores, por conta de sua passagem pelo Palmeiras, deixou o clube durante o Campeonato Brasileiro.

Depois disso, não vestiu mais a camisa de grandes clubes. Jogou alguns meses pelo Gama e se transferiu para o Al Nassr, da Arábia Saudita. Encerrou sua carreira no Mogi Mirim, em 2003, durante a disputa do Paulistão.