Advogados chegam a acordo com ex-mulher e atacante pode deixar prisão

Mesmo que liberado, o jogador não entrará em campo pelo União no final de semana

Publicado em .

Santa Bárbara d’Oeste, SP, 06 (AFI) – Depois de passar a noite na cadeia de Casa Branca, região Central do interior de São Paulo, o atacante do União Barbarense, Tuta (foto), deverá ser solto. Tudo isso porque seus advogados chegaram num acordo com a ex-mulher, que cobra pensão alimentícia, e encaminharão um documento à Justiça para que ocorra ainda hoje o alvará de soltura.

Os advogados de Tuta estão na cidade de Birigui para colher a assinatura da ex-mulher sobre o acordo feito para o pagamento da dívida cobrada na Justiça, esta estimada em quase R$ 110 mil. A notificação sobre a prisão pelo não pagamento de pensão alimentícia saiu justamente da cidade de Birigui, onde a ex deu entrada junto à 2.ª Vara da Família.

A expectativa é de que um juiz de plantão aceite o pedido ainda nesta sexta-feira e o jogador deixe a prisão de Casa Branca. Tuta apareceu para treinar normalmente na última quinta, no Estádio Antônio Lins Guimarães, até que ao fim da atividade a Polícia Civil apareceu no local e deu voz de prisão. O jogador foi encaminhado ao presídio, que assim como o de Paulínia, comporta homens detidos pela falta deste pagamento.

Aos 37 anos, Tuta começou sua carreira no interior de São Paulo, no Araçatuba, mas começou a brilhar no futebol brasileiro em 1999, pelo Vitória-BA. De lá pra cá o jogador passou por Flamengo, Palmeiras, Coritiba, Fluminense e Grêmio. Em 2008, Tuta começou a perder espaço e só jogou por times de considerado “segundo escalão”, assim como São Caetano, Brasiliense-DF.

Sem a presença do jogador, o União Barbarense estreia no Quadrangular final da A2 neste sábado, ás 16 horas, em Santa Bárbara, contra o Atlético Sorocaba.