Seleção FI do Brasileirão com 'eliminadores de odor' e goleiro Magrão

Jean, do Palmeiras, e Vitinho, do Internacional, fizeram com que o 'cheirinho' do Flamengo ficasse mais fraco

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 17 (AFI) - O Campeonato Brasileiro vai entrando em sua reta decisiva. O Palmeiras aproveitou a derrota do Flamengo para o Internacional para vencer o Figueirense e abrir quatro pontos na liderança. Atlético-MG e Santos ainda sonham, mas seguem longe. Completando o novo G6 estão: Botafogo e Atlético-PR.

A Seleção FI do Brasileirão vem com três atacantes que arrasaram nesta rodada. Vitinho fez com que o Flamengo saísse da cola do Palmeiras na vitória do Internacional. Romero foi o nome do Corinthians contra o América-MG, enquanto Roger brilhou na goleada da Ponte pelo Santa Cruz.

O técnico escolhido para comandar a Seleção FI foi Celso Roth. O treinador conseguiu fazer com que o elenco do Inter superasse todas as desavenças, derrotasse o Flamengo, um dos líderes do campeonato, e ainda deixasse a zona de rebaixamento na rodada.

Confira a Seleção FI do Brasileirão da 31ª rodada:

Magrão (Sport)

Nino Paraíba (Ponte Preta), Thiago Heleno (Atlético-PR), Neto (Chapecoense) e Edimar (Cruzeiro);

Matheus Rossetto (Atlético-PR), Jean (Palmeiras) e Thiago Mendes (São Paulo);

Vitinho (Internacional), Roger (Ponte Preta) e Romero (Corinthians);

Técnico - Celso Roth (Internacional)

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Goleiro: Magrão (Sport)
Apesar de o Sport ter sido superior no jogo, o Vitória proporcionou alguns momentos de grande perigo, que, graças a Magrão, não deram em gol. Magrão começou a brilhar ao escolher o canto direito e pegar o pênalti de Zé Love. Depois, Magrão mergulhou para defender ótimo chute e no rebote saiu mais um pênalti para o vitória. Magrão acertou de novo o canto, mas contou com a trave para manter o zero. Danilo, da Chapecoense, até brilhou muito contra o Cruzeiro, mas as defesas de Magrão com a bola rolando renderam ao goleiro do Sport a vaga no gol da Seleção da Rodada.

Lateral-direito: Nino Paraíba (Ponte Preta)
Depois de ser criticado pelos torcedores durante a campanha ruim realizada no Paulistão, Nino Paraíba teve sua saída especulada em algumas oportunidades, mas deu a volta por cima e cresceu demais de produção no Brasileirão. Diante do Santa Cruz, teve uma boa atuação, fez o cruzamento para Roger desperdiçar uma boa chance de gol no primeiro tempo e ajudou muito na marcação. Incansável, deixou o campo aplaudido pelos torcedores no fim do segundo tempo.

Zagueiro: Thiago Heleno (Atlético-PR)
Exaltado pela torcida que pede sua renovação aos gritos de “Fica, general!”, o zagueiro Thiago Heleno fez mais uma partida segura pelo Atlético-PR. Liderando a melhor defesa do campeonato com 27 gols sofridos, o capitão do time foi firme na zaga e garantiu mais um jogo sem sofrer gols, dessa vez contra o rival Coritiba.

Zagueiro: Neto (Chapecoense)
Neto fez uma partida tecnicamente perfeita na partida contra Chapecoense. O jogador, com ajuda do goleiro Danilo - pegou um pênalti de Ábila -, foi o grande responsável por segurar o poder ofensivo do Cruzeiro. Aguentou a pressão com louvor, tanto que o Verdão não sofreu gols na partida. Ajudou muito com as roubadas de bola.

Jean foi o principal nome do Palmeiras contra Figueirense
Jean foi o principal nome do Palmeiras contra Figueirense

Lateral-esquerdo: Edimar (Cruzeiro)
Fez uma boa partida no empate do Cruzeiro por 0 a 0 contra a Chapecoense. Subiu bem ao ataque, sendo preciso em cruzamentos, e ainda contribuiu muito na defesa, tanto que não deu espaço para os atacantes da equipe adversária. Não brincaram pelo seu lado de campo.

Volante: Matheus Rossetto (Atlético-PR)
O jovem jogador foi um gigante no Atletiba deste domingo. Mostrando muito comprometimento, marcou com eficiência e ainda fez um golaço, em um chute que entrou no ângulo do goleiro Wilson. Ele precisou deixar o gramado após dores musculares e foi só sair, que o Furacão perdeu a força defensiva no meio-campo.

Volante: Jean (Palmeiras)
Fazendo uma interessante função tática em que alterna entre a lateral-direita e o meio de campo com Tchê Tchê, Jean teve ainda mais liberdade nesta rodada já que Cuca escalou Fabiano na lateral. A mudança surtiu efeito e Jean se destacou aparecendo com frequência no ataque. O jogador marcou os dois gols da vitória sobre o Figueirense e manteve o Verdão mais líder do que nunca.

Volante: Thiago Mendes (São Paulo)
Após um primeiro tempo para se esquecer, Thiago Mendes se superou e foi o principal nome do São Paulo na virada para cima do Fluminense, que afastou o time da zona de rebaixamento. Além de deixar o seu, colocou uma bola na trave e acabou participando de praticamente todas jogadas de ataque do time paulista. Merece destaque.

Atacante: Vitinho (Internacional)
Não parou um minuto sem fustigar a defesa do Flamengo. Tentou o chute de longe, o drible na área e no segundo tempo infernizou os adversários. Fez o cruzamento para o gol de empate de Eduardo Sasha e depois marcou o gol da vitória mostrando muito oportunismo e presença de área. Realmente ele foi infernal, impulsionado por mais de 35 mil colorados que foram ao Beira Rio e derrubaram o vice-líder.

Atacante: Roger (Ponte Preta)
Com sua experiência tem marcado gols importantes para a Ponte Preta na sua boa campanha dentro do Brasileirão. Não foi diferente diante do Santa Cruz quando abriu o placar com um chute colocado e depois ajeitou de peito a bola para o chute de Maycon no segundo gol. Importante destacar o conjunto pontepretano, coma presença sempre eficiente de Rhayner.

Atacante: Romero (Corinthians)
O paraguaio não teve uma atuação de encher os olhos, mas foi muito eficiente nas vezes que o Corinthians precisou dele. Mais do que isso, o atacante fez história ao fazer o seu 16º gol na Arena de Itaquera, superando Guerrero e se isolando como maior artilheiro da casa alvinegra.

Celso Roth (Internacional)
O Internacional fez o que poucas equipes conseguiram neste segundo turno: derrotar o Flamengo. Celso Roth não teve medo de enfrentar um dos líderes do Brasileirão e postou, surpreendentemente, um Internacional voltado ao ataque, e deu certo. Apesar de sofrer um susto, com gol de Réver, soube conter o ânimo de seus jogadores, mesmo com a briga entre Anderson e William dias antes, para buscar a virada diante do Mengão. O resultado foi de suma importância, pois fez com que o Colorado saísse da zona de rebaixamento depois de seis rodadas.