Paulista A2: Zagueiro do São Caetano vê estadual ainda mais equilibrado em 2017

Magrão também apontou entrosamento do Azulão como principal trunfo durante a competição

por Agência Futebol Interior

São Caetano do Sul, SP, 24 (AFI) - A Série A-2 ainda irá demorar para iniciar, mas já passa a ser o objeto de desejo do elenco do Azulão para 2017. Exemplo desta ansiedade em jogar o estadual está em Magrão, titular da zaga do São Caetano durante a Copa Paulista.

Na opinião do defensor o próximo estadual será um dos mais equilibrados, principalmente depois que o número de clubes que avançam ao mata-mata diminuiu.

“Vai ser um campeonato muito difícil, tendo a participação de grandes clubes. Com menos times classificados à próxima fase, acredito que será uma das melhores edições da Série A-2 para se jogar. O bom é que estamos preparados para encarar qualquer adversário”, analisou o beque.

(Foto: Adriano Stofaleti)
(Foto: Adriano Stofaleti)

Após a realização da primeira fase, o estadual da segunda divisão paulista de 2017 contará com apenas quatro equipes classificadas às quartas de final. Em 2016, oito foi o número de agremiações que garantiram presença na etapa de mata-mata.

CONFIANÇA
Em 2014, Magrão teve o gostinho de ascender de divisão jogando pelo Grêmio Novorizontino.

Na expectativa de passar por esta experiência novamente, o defensor destacou aspectos que podem fazer a diferença a favor do grupo dirigido por Luiz Carlos Martins.

“A equipe que se preparar melhor no mês de dezembro irá se sobressair. Contamos com uma base de jogadores mantida e isso irá nos colocar à frente de muitos adversários. Fui campeão da Série A3(2014) pelo Grêmio Novorizontino, e foi ótimo. Quero repetir este sucesso aqui (São Caetano) também”, afirmou.

O Campeonato Paulista inicia no dia 29 de janeiro. O São Caetano é um dos 12 remanescentes da competição realizada em 2016.

COPA SÃO PAULO
Nesta quinta-feira (24) foram definidas as chaves da primeira fase da Copa São Paulo. Time sede do Grupo D, Azulão terá como adversários as equipes do Flamengo (RJ), São Bento e Central (PE).