Elano se aposenta e vai fazer parte da comissão técnica do Santos

A partir de janeiro do ano que vem, o meia será auxiliar técnico no Peixe

por Agência Estado

Santos, SP, 25 - Com 321 jogos e 68 gols marcados com a camisa do Santos, Elano vai se aposentar como jogador no final do Campeonato Brasileiro. O meia, um dos destaques da seleção brasileira na Copa do Mundo de 2010, anunciou que dará adeus aos gramados, mas continuará no futebol e na Vila Belmiro.

A partir de janeiro do ano que vem, ele será auxiliar técnico do Santos. Pelo que explicou o clube, já no início da próxima temporada, o paulista de 36 anos fará parte da comissão técnica fixa do time santista.

"O Santos me proporcionou ser um atleta profissional, o que me ajudou a conquistar tudo em minha vida. Aqui eu cresci como ser humano e ganhei títulos importantes. Tenho carinho e gratidão por este clube que me abriu as portas há tanto tempo e, agora, permite que eu continue minha história", declarou Elano, que disse ter sido convidado para o cargo pelo presidente do Santos, Modesto Roma Júnior.

Elano ao lado do presidente Modesto Roma Júnior e do técnico Dorival Júnior - Ivan Storti/ Santos FC
Elano ao lado do presidente Modesto Roma Júnior e do técnico Dorival Júnior
Uma das funções dele será ajudar na integração dos "Meninos da Vila", como são conhecidos os atletas formados na base do Santos, com o elenco principal. "Eu quero muito continuar fazendo o melhor para o Santos também fora de campo. Quero ajudar na integração da base com o profissional. Fizeram isso por mim quando eu era garoto e o resultado foi muito positivo. É importante fazer essa troca de experiências. Quero me aproximar dos jovens talentos e entender o universo deles. O nosso principal objetivo é criar atletas, algo que o Santos sempre fez."

Elano começou a carreira no Guarani, onde foi formado, mas chegou aos profissionais no Santos. Pelo clube santista ganhou o Brasileirão em 2002 e 2004 antes de se transferir para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. De lá, seguiu para o Manchester City, da Inglaterra, e o Galatasaray, da Turquia.

Ele retornou à Vila Belmiro em 2011, vencendo o Paulista e a Libertadores daquele ano. Depois, viveu entre idas e vindas. Passou com sucesso pelo Grêmio e decepcionou no Grêmio. Já em fim de carreira, jogou duas temporadas no Chennaiyin, da Super Liga da Índia, torneio que reúne atletas famosos já sem mercado.

Este ano, já quase não jogou. Ainda que seja regularmente relacionado para o banco de reservas, só fez seis partidas no Brasileirão, atuando por cerca de 100 minutos, apenas. No Paulistão, não chegou a ficar 50 minutos em campo.