Pacaembu terá rodada dupla do Brasileirão pela 1ª vez neste domingo

Flamengo x Figueirense, às 11 horas, e Santos x Santa Cruz, às 18h30 serão os jogos da rodada, fato inédito para qualquer estádio

por Agência Estado

São Paulo, SP, 18 - Pela primeira vez no Campeonato Brasileiro, um estádio receberá rodada dupla. E o escolhido para sediar neste domingo os jogos Flamengo x Figueirense, às 11 horas, e Santos x Santa Cruz, às 18h30, foi o Pacaembu, em São Paulo. Apesar do grande fluxo de torcedores em um curto intervalo de tempo, a segurança não é motivo de inquietação.

"A rodada dupla não chega a ser de grande preocupação porque não há tanta rivalidade entre Flamengo e Santos. O público flamenguista que vai ao jogo deve ser formado por quem é carioca e mora em São Paulo, é um perfil mais tranquilo e comportado. Notamos isso no Fla-Flu que teve no começo do ano", explica Luiz Gonzaga de Oliveira Junior, tenente-coronel da Polícia Militar.

Foram escalados 120 policiais militares para cada jogo. O baixo risco permitiu o retorno do time rubro-negro para a capital paulista. "O espaçamento de horário entre um jogo e outro será importante para a organização. A gente não se preocupa com o escoamento do público do primeiro jogo porque as torcidas não têm histórico de rivalidade. Mesmo quem é de organizada e vem do Rio vai chegar em comboio e escoltada", enfatiza o responsável pelo policiamento dos estádios em São Paulo.

Será a primeira vez que um estádio brasileiro receberá dois jogos oficiais no mesmo dia
Será a primeira vez que um estádio brasileiro receberá dois jogos oficiais no mesmo dia
A previsão é que por volta das 13h15 os torcedores da partida matinal já tenham deixado o estádio. O trabalho da organização seguirá o procedimento padrão. "Quando está faltando cinco minutos é dado o posicionamento dos portões abertos, agradecemos a presença do público e desejamos um bom retorno", conta Mauro Castro, diretor do Pacaembu.

A rotina de trabalho da jornada dupla também será a mesma adotada em partidas únicas. Serão 98 profissionais contratados pelo Pacaembu, que irão se revezar ao longo de todo o dia. O turno terá início por volta das 7 horas da manhã e vai durar até o fim dos trabalhos.

O estádio é responsável por diversos serviços: elétrico, hidráulico, limpeza, cerimonial, disponibilidade de maqueiros, gandulas, entre outros. Cuidados com o gramado estão previstos no intervalo entre os confrontos, assim como a higienização do local. "São jogos com operações completamente distintas, como se fossem dois dias da semana", afirma Castro.

O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, afirmou que com a impossibilidade de jogar no Rio, atuar na capital paulista é a melhor opção, desde que seja possível alugar o estádio e ter o aval da Polícia Militar. "Os jogadores gostam muito do Pacaembu. Alguns têm famílias em São Paulo, às vezes conseguem até emendar a estadia na cidade com algum programa com os parentes. Para nós é sempre muito bom", disse à reportagem do Estado.

FLA DEVE LEVAR MAIOR PÚBLICO

Mesmo punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) com a restrição na carga de ingressos, o Flamengo deve mobilizar mais presença de público no Pacaembu neste domingo do que o Santos. Isso porque até sexta-feira o time carioca esgotou os quase 31 mil ingressos à venda, contra apenas 11 mil comercializados pelo time paulista.

A equipe carioca cumpre uma das três partidas como mandante com 20% da capacidade reduzida como punição por incidentes no jogo com o Palmeiras, em Brasília. A rápida venda não causou surpresas à diretoria. "Em março tivemos o Fla-Flu o Pacaembu com estádio lotado. Já esperávamos a procura. Temos muitos torcedores em São Paulo", disse o presidente do clube, Eduardo Bandeira de Mello.

Com a rodada dupla, o Pacaembu chegara à 27ª partida em 2016. O número é o triplo da quantidade de jogos realizada no local em todo o ano passado. Ainda neste ano, o estádio vai receber mais um clássico entre Santos e São Paulo.

A Prefeitura receberá como taxa de aluguel para cada jogo o menor valor entre o montante de 12% da renda bruta e a taxa de R$ 71,9 mil. O custo anual de manutenção do local é de R$ 9 milhões.