Reviravolta? Lusa encontra argumento para culpar CBF pela escalação de Héverton

No sistema de comunicação entre a CBF e os clubes, conta que o meia já havia cumprido a suspensão

por Agência Futebol Interior

São Paulo, SP, 18 (AFI) – Um fato novo pode dar uma reviravolta no julgamento da Portuguesa no STJD. Segundo divulgou o diário, no recurso, que será julgado no próximo dia 27, a defesa do clube utilizará uma falha no próprio sistema da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) para provar que o jogador Héverton poderia estar em campo na última rodada, contra o Grêmio. No “BID da Suspensão”, sistema de acesso apenas para a entidade e para os clubes, consta que o meia já havia cumprido a suspensão e, portanto, estaria apto a atuar.

Criado em setembro deste ano, exatamente para facilitar a comunicação a respeito de suspenções da CBF com os clubes, o BID (Boletim Informativo Diário) da Suspensão traz todas as informações sobre os jogadores que estão suspensos ou que já cumprirão suspensão determinadas inclusive pelo STJD. No dia 06 de dezembro, sexta-feira, data do julgamento que condenou o meia Héverton a cumprir mais um jogo de suspensão, o BID da Suspensão informava que o jogador “cumpriu”. No dia 10 de dezembro, dois dias após a partida contra o Grêmio, portanto, o sistema mantém o termo “cumpriu” a respeito da suspensão de Héverton, ou seja, a CBF não teria informado a Portuguesa por meio do sistema, da punição ao meia.

Para provar que o sistema foi atualizado, a Portuguesa utilizará a suspensão dada ao também jogador da Lusa, Gilberto, que também foi a júri naquela sexta-feira. O status do jogador foi alterado de “suspenso” para “cumpriu”, já que ele foi julgado e liberado pelo STJD no mesmo julgamento.

Após a constatação, a Portuguesa utilizará no recurso que a CBF é coautora do erro no caso Héverton, exatamente por também não ter informado que o jogador estava suspenso. O BID da Suspensão não foi levado em conta no primeiro julgamento.

Reviravolta?
O fato novo será apresentado pela Portuguesa em sua defesa que espera que os auditores do STJD reverta a pena, porém, novamente poderá ser utilizado e indagado pelo Tribunal de que bastava a representação de um membro da Portuguesa no julgamento para que houvesse ciência do clube da punição. Na ocasião, o advogado do clube na época, Osvaldo Sestário, esteve presente e afirmou ter avisado o clube sobre a suspensão.

Em caso de uma mudança na pena à Portuguesa e os pontos retirados forem devolvidos, o rebaixado novamente não seria o Fluminense, mas o Flamengo, que após perder os pontos na segunda-feira, terminou a competição na 16ª posição, acima da Lusa.