JAPÃO: Único brasileiro da J-League, Nelsinho Batista fica mais um ano no Vissel Kobe

Graças à campanha inédita do modesto Vissel Kobe, que terminou o returno como vice-campeão e foi sétimo na classificação geral.

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 24 (AFI) – Único técnico brasileiro na J-League – a Primeira Divisão do Japão – Nelsinho Batista vai ficar mais uma temporada na terra do sol nascente. Graças à campanha inédita do modesto Vissel Kobe, que terminou o returno como vice-campeão e foi sétimo na classificação geral.

“Nos últimos anos tenho feito assim mesmo. Só faço contrato por um ano, sem multa e nem nada. Se o clube não estiver satisfeito é só me avisar e o mesmo vale para mim. Se não concordar com alguma coisa, peço as contas e vou embora para casa” – costuma explica Nelsinho, aos 68 anos, atualizado e adaptado ao futebol japonês.

Nelsinho Batista: único técnico brasileiro na J.League
Nelsinho Batista: único técnico brasileiro na J.League

A expectativa, é claro, é uma melhora. O clube também pretende trabalhar no sentido de atender às necessidades do time apontados por seu treinador, que goza de enorme prestígio em todo o Japão.

Como não vai disputar a Copa do Imperador, em dezembro (só oito times estão classificados), Nelsinho vai aproveitar para antecipar as férias e retornar ao batente antes dos outros clubes para tentar tirar proveito durante a temporada.

“Agora é férias, viajar, ficar um pouco no Brasil ao lado da família e dos amigos. Ganhar um fôlego” – diz o técnico.

O CAMPEONATO
O Campeonato Nacional terminou há duas semanas e pela primeira vez o Vissel Kobe terminou vice-campeão do returno, só atrás do Urawa Reds, que vai disputar o título geral. Na classificação geral – soma dos dois turnos – o Vissel Kobe ficou em sétimo lugar, também pela primeira vez. A sua melhor posição anteriormente era o nono lugar na temporada de 2009. O time foi fundado em 1997, entrando na J2 – Segunda Divisão.

O campeão japonês ainda não é conhecido. Pelo regulamento, o Urawa Reds – melhor nos dosi turnos – ficou no chapéu à espera da disputa única entre outros melhores. Mas o Kawasaki desperdiçou enorme chance de chegar à final pela primeira vez na história. Mesmo jogando em casa e favorecido pelo empate (por melhor campanha) perdeu por 1 a 0 para o Kashima Antlers.

O jogo foi realizado na quarta-feira, 23. Após um primeiro tempo equilibrado, o tradicional Kashima, já acostumado às finais, fez seu gol aos cinco minutos do segundo tempo numa cabeçada de Kanazaki. A decisão agora acontecerão em dois jogos, marcados para os dias 29 de novembro e 3 de dezembro. O primeiro será em Kashima e o segundo em Urawa.