Eduardo Baptista pede, mas vê dificuldade na permanência de Rhayner

A diretoria já entrou em contato com o empresários do jogador, mas o interesse de outros clubes deixa a negociação mais complicada

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 20 (AFI) - A diretoria da Ponte Preta já havia falado sobre o desejo de manter 70% do atual elenco para a próxima temporada e um dos jogadores que está nos planos é o atacante Rhayner. O técnico Eduardo Baptista revelou neste domingo, após a vitória sobre o Fluminense, por 1 a 0, em Campinas, que pediu a permanência do camisa 11, mas considerou a negociação complicada.

Rhayner tem contrato com a Macaca até o fim do ano e seus direitos econômicos pertencem ao Tombense, de propriedade do empresário Eduardo Uram. O gerente de futebol Gustavo Bueno já iniciou conversas para uma possível renovação, mas o interesse de clubes com maior aporte financeiro deixa o atacante mais distante do Moisés Lucarelli em 2017.

O atacante Rhayner tem contrato com a Ponte até dezembro e interessa a outros clubes
O atacante Rhayner tem contrato com a Ponte até dezembro e interessa a outros clubes
"Quando eu cheguei, o Rhayner não estava bem fisicamente, mas aos poucos ele foi incorporando o espírito e sendo um jogador importante. Oscilou em alguns momentos, o que é normal. Mas ele vem se doando, é muito importante taticamente, não reclama quando a gente pede para fazer outra função... É um pedido meu, mas ele se valorizou e para a Ponte Preta é complicado, porque clubes com melhores condições financeiras estão em cima. O Gustavo Bueno está em conversa com seu empresário e a diretoria também tem um limite", explicou Eduardo Baptista.

Anunciado ainda em dezembro do ano passado como uma das principais contratações, Rhayner não fez um primeiro semestre e esteve muito próximo de deixar a Ponte Preta no início do Brasileirão, quando ficou alguns jogos sem ser relacionado por Eduardo Baptista. Santa Cruz e Vitória fizeram proposta por empréstimo, mas a diretoria bancou sua permanência depois de uma conversa com o jogador. E não se arrependeu.

Após se firmar, Rhayner se tornou peça essencial no esquema tático de Eduardo Baptista, principalmente por ajudar na marcação e também na criação das jogadas, fazendo muitas vezes a de meia armador. Ao todo, com a camisa pontepretana, o atacante disputou 35 jogos - dez no Paulista, quatro na Copa do Brasil e 21 no Brasileirão - e marcou dois gols.