Antes do duelo com Botafogo, João Vitor ressalta que ser capitão da Ponte é difícil

Volante destaca que teve a missão facilitada devido ao grupo de jogadores ser muito bom, ele atuou em 31 partidas da Macaca no nacional

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 - A Ponte Preta continua sua preparação para o jogo deste sábado (26), contra o Botafogo no Rio de Janeiro. Quem deve estar presente em campo mais uma vez, é o volante João Vítor. O capitão da Macaca é um dos que mais atuou pelo time neste Campeonato Brasileiro. Ao todo foram 31 jogos, das 36 rodadas realizadas. O meio-campista fica atrás apenas do lateral-esquerdo Reinaldo, que esteve presente em 32 jogos. Titular em todos que esteve presente e atuado os 90 minutos em 26 confrontos, o atleta se mostra orgulhoso em carregar a faixa de capitão no seu braço.

“Foi uma conquista acredito eu, de um merecimento de muito trabalho, foco, dedicação e a nossa função aqui é sempre estar fazendo o nosso melhor, ajudando o nosso companheiro, aconselhando, para que possamos estar no dia a dia trabalhando forte. E quando chegar na hora do jogo estarmos ainda melhores para conquistarmos os nossos objetivos. A importância é de sempre estar levantando o astral de todos e ajudar quem está cabisbaixo ou até aqueles que estão empolgados demais. É uma função bastante difícil, mas acho que soube lidar com isso muito bem esse ano. Apesar de que não tivemos problemas, porque o grupo é muito bom”, ressalta João, que revela ter dado alguns conselhos para um colega de função, em entrevista ao site oficial do clube.

João Vitor atuou em 31 partidas da Ponte no Campeonato Brasileiro (Foto: PontePress/FábioLeoni)
João Vitor atuou em 31 partidas da Ponte no Campeonato Brasileiro (Foto: PontePress/FábioLeoni)

“Tem uns quatro jogadores que me dão muito trabalho. O Matheus Jesus mesmo no começo do ano estava um pouco cabisbaixo, por ter conseguido jogar entre os profissionais e depois ter saído do time. Mas depois conversamos e falamos que ele é bastante importante para a equipe e foi um dos atletas que nessa reta final não se abateu e deu a volta por cima para nos ajudar”, conta o volante, que destaca o trabalho do seu companheiro de clube.

“Só elogios ao Matheus Jesus. Com a idade que tem, ter a qualidade que apresenta, eu acho que são poucos na Série A que possuem. Que ele continue focado e dedicado, porque é um grande jogador, pode ser no futuro um atleta de seleção brasileira e dar alegrias para ele, para a família e para o país. Acho que tem que focar e continuar esse trabalho que vem fazendo, porque vai ser muito bom para toda nação brasileira”, enfatiza.

JOGO A JOGO
Sobre as rodadas restantes do Brasileirão, João Vitor é pontual.

“Estamos pensando no Botafogo. Em fazer um grande jogo e conseguir uma vitória lá, para que possamos atingir a mesma pontuação do ano passado, que foi de 51 pontos e depois fazer mais três pontos para que atinjamos a maior meta da Ponte na história do Campeonato Brasileiro”, afirma o atleta, que se mostra feliz em estar no clube e projeta um futuro vencedor com a Macaca

“A Ponte é uma alavancada muito grande na minha carreira. Até porque passei por várias situações conturbadas, mas na Ponte adquiri a confiança novamente de jogar um bom futebol e de fazer jogadas mais soltas em campo. Construí vários amigos aqui dentro e tudo isso conta para que possamos voltar ano que vem e confiantes sabendo que estamos em casa. Tudo isso pesa para que eu fique aqui e o fator principal que é de conquistar um título pela Ponte. Isso vem em primeiro lugar e a diretoria está com o pensamento de fazer uma equipe forte para ano que vem e conta comigo. Estou à disposição e espero que de tudo certo para conseguir esse objetivo em 2017”, completa.

PROVÁVEL ESCALAÇÃO
Sem poder contar com o experiente Wendel, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o técnico Eduardo Baptista inciou que irá escalar o jovem Ravanelli na posição. A opção pelo atleta se deu também devido a certeza de que Maycon não continuará n o Moisés Lucarelli em 2017 - ele retornará para o Corinthians.

Assim sendo, a Ponte Preta deve ir a campo com a seguinte formação: Aranha; Nino Paraíba, Antônio Carlos, Douglas Grolli e Breno Lopes; Matheus Jesus, João Vitor e Ravanelli; Clayson, Rhayner e William Pottker.