William Pottker vê suspensão injusta e desabafa: "os últimos dias não foram fáceis"

O vice-artilheiro do Brasileirão pegou quatro jogos de suspensão, mas atuou contra o Santa Cruz por conta de um efeito suspensivo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 16 (AFI) - Na última quinta-feira, William Pottker foi julgado por ter agredido o zagueiro Luan no jogo entre Ponte Preta e Atlético-PR, em duelo válido pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, e acabou sendo suspenso por quatro jogos - um já cumprido automaticamente - pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Liberado para atuar contra o Santa Cruz, neste domingo, graças a um efeito suspensivo, o atacante desabafou após a partida.

"Esses últimos dias não foram fáceis, mas tive o apoio da minha família e dos meus companheiros. A gente tem apenas uma oportunidade na vida de ter sucesso em um campeonato de alto nível e tentam tirar isso, mas sou guerreiro e não vai me abalar. Venho conversando com a minha família e eu sei que errei lá atrás em tentar agredir o Luan", comentou o emocionado atacante.

William Pottker pegou quatro jogos de suspensão e só atuou neste domingo graças a um efeito suspensivo
William Pottker pegou quatro jogos de suspensão e só atuou neste domingo graças a um efeito suspensivo
Liberado graças ao efeito suspensivo, William Pottker começou a partida no banco de reservas e entrou no segundo tempo. Ele não precisou de muitos minutos em campo para fazer o terceiro da Ponte Preta na goleada sobre o Santa Cruz, por 3 a 0. O atacante comemorou de uma forma bastante efusiva e foi abraçado pelos companheiros.

Com o gol marcado neste domingo, Pottker chegou aos 11 gols e é vice-artilheiro do Brasileirão ao lado de Robinho (Atlético-MG), Sassá (Botafogo) e Gabriel Jesus (Palmeiras), atrás apenas de Fred (Atlético-MG), que tem 11.

MAIS DESABAFO...
E não foi apenas William Pottker que desabafou neste domingo. Autor do primeiro gol e da assistência para Maycon fazer o segundo, Roger comentou sobre o que aconteceu na última quinta-feira, quando ele se desentendeu com um torcedor na saída do Moisés Lucarelli após a Ponte Preta bater o Vitória, por 2 a 0.

"Foi um fato isolado, um torcedor que já tem um particular contra eu faz algum tempo. Desde a minha volta ele fez alguma crítica, uma brincadeira pesada... A gente vai tolerando, mas tudo tem limite. Ele tentou me agredir e seguraram. Mas eu estou tranquilo, porque sei que isso é uma minoria não nos represente. Eu sou Ponte Preta, fui criado aqui e isso ninguém vai tirar de mim", afirmou Roger, que marcou seu sétimo gol no Brasileirão.

Com a segunda vitória seguida, a Ponte Preta chegou aos 45 pontos e se manteve na décima colocação. Praticamente livre de qualquer risco de rebaixamento, a Macaca agora vai em busca de uma vaga na Copa Libertadores de 2017. A diferença para o Atlético-PR, primeiro do G6, é de apenas três pontos.