STJD pune William Pottker, da Ponte, com gancho de 4 jogos por agressão

O jogador acertou um soco no zagueiro Luan, do Atlético-PR, três minutos após ter entrado em campo

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 13 (AFI) - Denunciado por agressão ao zagueiro Luan, do Atlético-PR, pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o atacante William Pottker foi punido em audiência na tarde desta quinta-feira com quatro jogos de suspensão - um já cumprido pelo cartão vermelho. Apesar da decisão do Tribunal, o jogador estará em campo nesta quinta-feira, quando o time campineiro enfrenta o Vitória, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Durante o julgamento, os auditores sugeriram seis jogos de punição ao jogador, que poderia ter o gancho máximo de 12 partidas, mas o jurídico da Ponte Preta acabou revertendo a situação, conseguindo assim a pena mínima para seu jogador. O clube campineiro ainda tentará um efeito suspensivo para escalar o atleta no duelo contra o Santa Cruz, no domingo, também no Moisés Lucarelli.

William Pottker cumprirá quatro jogos de suspensão - Fabio Leoni/ PontePress
William Pottker cumprirá quatro jogos de suspensão

O atacante pontepretano foi julgado no artigo 254-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD) por "praticar agressão física durante a partida, prova ou equivalente" e a pena é "suspensão de quatro a doze partidas". O departamento jurídico do clube usou o histórico de Pottker para evitar que ele recebesse uma suspensão pesada.

A ideia da Ponte é aproveitar os dois jogos em casa para contar com a força máxima, visando se aproximar do G6. E esse planejamento passa também pelo atacante. Em baixa, o time campineiro aparece na 11ª colocação, com 39 pontos.

Contratado depois de ter feito um bom Paulistão pelo Linense, William Pottker nunca conseguiu se firmar entre os titulares, mesmo sendo o vice-artilheiro do Brasileirão com dez gols marcados - empatado com Fred (Atlético-MG), Vitor Bueno (Santos) e Diego Souza (Sport), e atrás apenas de Robinho (Atlético-MG), Sassá (Botafogo) e Gabriel Jesus (Palmeiras), ambos com 11.