Herói improvável do Palmeiras com gol do título, Fabiano não sabe se fica no time

O lateral-direito Fabiano, que tem somente 10 jogos pelo clube, entrou na história alviverde ao marcar contra a equipe que o projetou:

por Agência Estado

São Paulo, SP, 27 - O gol do título do Palmeiras responsável por encerrar o jejum de 22 anos no Campeonato Brasileiro veio de um dos jogadores menos badalados do elenco. O lateral-direito Fabiano, que tem somente 10 jogos pelo clube, entrou na história alviverde ao marcar contra a equipe que o projetou: a Chapecoense.

Até mesmo na festa pela conquista o herói continuou discreto. Em uma campanha com variados personagens importantes - como o artilheiro Gabriel Jesus, o capitão Dudu, os goleiros Fernando Prass e Jailson, mais o técnico Cuca -, o lateral-direito reserva é quase um anônimo e foi pouco procurado para entrevistas.

"Fazer o gol foi uma alegria imensa. Foi muito criticado por aqui. Foi o gol mais importante da minha vida", disse Fabiano, que chegou neste ano ao Palmeiras. A vitória por 1 a 0 sobre a Chapecoense, no estádio Allianz Parque, em São Paulo, foi o primeiro dele em apenas 10 jogos com a camisa do clube.

Fabiano comemora gol com companheiros do Palmeiras: Herói improvável
Fabiano comemora gol com companheiros do Palmeiras: Herói improvável
Fabiano veio ao Palmeiras em maio, emprestado pelo Cruzeiro com contrato até o fim do ano. A permanência está sob suspense. "Tenho o meu empresário decidindo isso. Vou deixar com ele. Agora eu quero mais é curtir porque a gente merece, por tudo o que a gente passou no ano", afirmou.

O lateral-direito de 25 anos é catarinense e começou a carreira na Chapecoense, onde se profissionalizou em 2009. O jogador foi titular durante toda a caminhada da equipe entre a Série D e o acesso histórico à Série A, em 2014. No ano seguinte, seguiu para o Cruzeiro, onde teve poucas chances e acabou emprestado ao Palmeiras.

No clube paulista, Fabiano ficou como reserva de Jean. A titularidade no jogo decisivo chegou a ser uma surpresa, pois Cuca preferiu escalar o então titular na lateral como volante e deu a oportunidade para o coadjuvante virar o herói na vitória magra.

O gol aos 25 minutos do primeiro tempo veio após jogada ensaiada. "Tenho enorme respeito pela Chapecoense, é o que time onde comecei e passei grandes momentos. Mas tive a felicidade de fazer esse gol histórico contra eles", comentou.