Após título, patrocínio do Palmeiras em 2017 deve saltar para R$ 80 mi

Mesmo que não o faça, o Palmeiras tem tudo para se manter em um patamar elevado sob o ponto de vista financeiro

por Agência Estado

São Paulo, SP, 28 - O Palmeiras chegará em 2017 vivendo uma realidade totalmente diferente da dos últimos anos. Campeão brasileiro, com as finanças equilibradas e um novo presidente e, talvez, com um novo técnico. Após quatro anos no comando, Paulo Nobre deixa a presidência para seu vice Maurício Galiotte. Existe a dúvida em relação à participação de Nobre na nova diretoria e se ele continuará investindo no clube.

Mesmo que não o faça, o Palmeiras tem tudo para se manter em um patamar elevado sob o ponto de vista financeiro. A Crefisa, patrocinadora do clube, já tem tudo alinhavado para renovar o contrato e aumentar ainda mais o valor de patrocínio. Passaria dos R$ 66 milhões para algo em torno de R$ 80 milhões.

A relação entre os donos da empresa e Galiotte é muito melhor do que a existente com Nobre. É o atual vice quem negocia com a financiadora os principais pontos da parceria. Logo, a tendência é que o "casamento" se intensifique ainda mais.

Cuca ainda não tem presença garantida. Os milhões da China voltaram a atrair a sua atenção e ele pode deixar o clube. Em relação ao elenco, a transferência de Gabriel Jesus para o Manchester City pode significar uma ausência sentida em campo, mas a diretoria já correu atrás de novas opções. Os meias Raphael Veiga (Coritiba) e Hyoran (Chapecoense) e o atacante Keno (Santa Cruz).

Nos bastidores, Alexandre Mattos, diretor de futebol, assegura que fará de tudo para contratar um grande nome para a Copa Libertadores. O dirigente, inclusive, também tem contrato só até dezembro, mas é nome praticamente certo para continuar.