Palmeiras critica flamenguistas infiltrados, mas Nobre se desculpa por confusão

Durante a partida, ele foi até um dos camarotes da nova arena acompanhado por seguranças para retirar um torcedor do time carioca

por Agência Estado

São Paulo, SP, 15 - A diretoria do Palmeiras divulgou nesta quinta-feira um comunicado para comentar os incidentes ocorridos na última quarta no Allianz Parque durante o empate por 1 a 1 com o Flamengo, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O clube criticou a ação de alguns torcedores do clube carioca que foram ao estádio "infiltrados" na torcida mandante, a classificando como temerária. Além disso, o presidente Paulo Nobre reconheceu que se excedeu em algumas ações.

Como punição imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), ficou proibida a presença de torcedores do Flamengo no duelo na arena palmeirense. Com isso, alguns flamenguistas compraram ingressos para a torcida do Palmeiras e foram ao estádio. O clube condenou a ação pelo risco de ocorrências violentas. E também lembrou que o time paulista poderia sofrer punições em caso de confusões de maior extensão do que as ocorridas.

"Era de conhecimento público que a venda de cota específica de ingressos a flamenguistas estava proibida nesta partida, por determinação do STJD. Os poucos rubro-negros que acessaram o Allianz Parque, ao terem atitudes temerárias no meio de milhares de palmeirenses, não só colocaram em risco sua própria integridade como poderiam ocasionar um tumulto generalizado, o que fatalmente serviria de embasamento para que a SEP (Sociedade Esportiva Palmeiras) sofresse novas injustas sanções", disse o Palmeiras.

O presidente Paulo Nobre reconheceu que se excedeu em algumas ações durante o jogo entre Palmeiras e Flamengo - Foto: César Greco / Ag. Palmeiras
O presidente Paulo Nobre reconheceu que se excedeu em algumas ações durante o jogo entre Palmeiras e Flamengo
JUSTIFICATIVAS
Durante a partida, Paulo Nobre foi até um dos camarotes da nova arena acompanhado por seguranças para retirar um torcedor do time carioca que comemorou o gol da equipe carioca. O presidente do Palmeiras admitiu que errou na sua ação e pediu desculpas, mas voltou a usar o risco de o clube ser punido e o "calor do jogo" para justificar o seu comportamento, que inclusive gerou atritos com a WTorre, que comercializa os camarotes do estádio.

"O presidente Paulo Nobre reconhece que, influenciado pelo calor do jogo e pela preocupação de o clube poder ser mais uma vez penalizado, exaltou-se na discussão com os flamenguistas retirados do camarote. Por conta disso, pede desculpas aos envolvidos no incidente e àqueles que se sentiram ofendidos pela forma como caso foi conduzido", afirmou o clube paulista em seu comunicado oficial.