Tênis: Contra jejum, Murray tem chave dura na Austrália; Monteiro reencontrará Tsonga

Líder do ranking mundial e cabeça de chave número 1 da competição, escocês irá estrear contra o ucraniano Illya Marchenko

por Agência Estado

Campinas, SP, 13 - O sorteio dos confrontos da chave principal do Aberto da Austrália foi realizado no final da noite de quinta-feira (no horário de Brasília) e desenhou um caminho difícil para Andy Murray encerrar o seu jejum de títulos no Grand Slam realizado em Melbourne. Cinco vezes vice-campeão do grande torneio que abre a temporada, o tenista britânico viu ficarem do seu lado da chave nomes como Roger Federer, Kei Nishikori e Stan Wawrinka, assim como poderá encarar duelos considerados mais complicados já na terceira rodada e nas oitavas de final.

Líder do ranking mundial e cabeça de chave número 1 da competição, Murray irá estrear contra o ucraniano Illya Marchenko, atual 93º colocado da ATP, em um jogo considerado tranquilo para o escocês. Na terceira fase da competição, porém, ele poderá travar um provável duelo com o sacador norte-americano Sam Querrey, 31º pré-classificado, que pode se tornar uma pedreira se estiver em um dia inspirado com o serviço na mão.

Andy Murray  tem chave complicada no Aberto da Austrália
Andy Murray tem chave complicada no Aberto da Austrália
Já para as oitavas de final, o caminho de Murray desenha um possível confronto copm o perigoso francês Lucas Pouille, 16º cabeça de chave e uma das principais promessas do circuito profissional atualmente. Nas quartas de final, por sua vez, o britânico já vislumbra o japonês Nishikori, quinto colocado do ranking mundial, ou o suíço Federer como prováveis adversários.

E como se não bastasse tudo isso, o suíço Wawrinka, campeão na Austrália em 2014 e quarto cabeça de chave, desponta como grande favorito a travar uma eventual semifinal com Murray. Neste mesmo quadrante do suíço, o croata Marin Cilic, sétimo pré-classificado, é o outro principal candidato a avançar a um dos confrontos que valerão vaga na decisão em Melbourne.

DJOKOVIC REENCONTRA VERDASCO
Cinco vezes vice-campeão, Murray foi batido na final do Aberto da Austrália em 2010 (por Federer), 2011, 2013, 2015 e 2016 (por Novak Djokovic nestas quatro ocasiões). E o maior algoz do britânico neste Grand Slam e segundo cabeça de chave desta edição da competição terá pela frente uma pedreira já na primeira rodada. Trata-se do experiente espanhol Fernando Verdasco, 40º colocado da ATP, que na semana passada encarou o sérvio na semifinal do Torneio de Doha e acabou derrotado depois de ter desperdiçado nada menos do que cinco match points.

O atual vice-líder do ranking mundial, porém, ostenta a condição de hexacampeão do Aberto da Austrália, com os títulos de 2008, 2011, 2012, 2013, 2015 e 2016, e ganhou nove dos 13 confrontos que travou com Verdasco, que em 2015 caiu por 3 sets a 0 diante do sérvio em Melbourne.

Se por um lado terá um duelo considerado complicado na estreia, por outro Djokovic não pode reclamar do caminho que o seu lado da chave projeta em sua busca pelo heptacampeonato. O seu primeiro provável rival mais perigoso seria o francês Richard Gasquet, 18º cabeça de chave, já pelas oitavas de final. Depois disso, o austríaco Dominic Thiem ou o belga David Goffin, respectivos oitavo e 11º pré-classificados, aparecem como possíveis adversários do sérvio em uma eventual quarta de final.

No outro quadrante deste lado da chave, o canadense Milos Raonic, o espanhol Rafael Nadal ou o francês Gael Monfils, respectivos terceiro, nono e sexto pré-classificados, são os tenistas que poderiam pegar Djokovic em uma possível semifinal.

BRASILEIROS
Entre os três tenistas brasileiros já garantidos na chave principal na Austrália, Thomaz Bellucci e Thiago Monteiro deram azar no sorteio. Número 1 do Brasil e atual 62º do mundo, Bellucci terá pela frente o australiano Bernard Tomic, 27º colocado da ATP. Entretanto, o tenista paulista levou a melhor em dois dos três duelos que já travou com o rival no circuito profissional, sendo que no último deles arrasou por duplo 6/2 no Torneio de Shenzen.

Monteiro, por sua vez, fará um interessante reencontro com o francês Jo-Wilfried Tsonga, 12º cabeça de chave, que também defenderá favoritismo, mas foi surpreendido pelo brasileiro no único duelo entre os dois até hoje. No ano passado, o cearense, atual 83º da ATP, eliminou o adversário do Rio Open com uma vitória por 2 sets a 1.

Caso passe por Tomic mais uma vez e avance à terceira rodada em seguida, Bellucci poderá fazer um provável duelo diante de Marin Cilic por uma vaga nas oitavas de final. Monteiro, por sua vez, sonha com novo triunfo sobre Tsonga e, caso avance à terceira rodada, poderia medir forças com o norte-americano Jack Sock, 23º cabeça de chave. E, se Bellucci e Monteiro ganharem os seus três primeiros jogos e já fizeram história para o Brasil com suas campanhas, travariam um improvável duelo pelas oitavas de final.

Outro brasileiro garantido na chave principal sem precisar disputar o qualifying, Rogério Dutra Silva, 96º tenista do mundo, foi quem deu mais sorte entre os seus compatriotas, pois terá pela frente na primeira rodada o norte-americano Jared Donaldson, 101º da ATP, contra o qual travará um duelo inédito sem favoritos.