Tênis: Atual 164º da ATP, francês é banido por 7 meses por apostar em 220 jogos

Constant Lestienne, de 24 anos, também foi multado em US$ 10 mil após admitir que realizou apostas em partidas da modalidade

por Agência Estado

Campinas, SP, 21 - A União pela Integridade do Tênis (TIU, na sigla em inglês) anunciou nesta quarta-feira, por meio de um comunicado, que o francês Constant Lestienne, atual 164º colocado do ranking da ATP, foi suspenso por sete meses por ter realizado apostas em 220 jogos do seu esporte no período entre fevereiro de 2012 e junho de 2015.

O tenista de 24 anos também foi multado em US$ 10 mil após admitir que realizou apostas em partidas da modalidade. A TIU vinha investigando Lestienne com a ajuda da ARJEL, autoridade reguladora de apostas online na França, e informou, porém, que nenhuma das 220 partidas foi disputada pelo próprio Lestienne.

E o tenista teve também metade da sua punição colocada em suspenso. Ou seja, poderá voltar a jogar no circuito profissional dentro de três meses e 15 dias caso não cometa novas infrações sob a supervisão do Programa Anticorrupção do Tênis (TACP, na sigla em inglês).

Atual 164º da ATP, francês é banido por 7 meses por apostar em 220 jogos
Atual 164º da ATP, francês é banido por 7 meses por apostar em 220 jogos
Para completar, terá sua multa reduzida para US$ 5 mil se der assistência às ações da TIU, que foi criada em 2008 em conjunto por ATP, WTA, ITF (Federação Internacional de Tênis) e Comitê de Grand Slam do circuito profissional.

De acordo com as regras da TACP, todos os jogadores do circuito profissional estão proibidos de realizar apostas em qualquer partida de tênis, sendo que a suspensão aplicada a Lestienne tem efeito imediato e o impede de competir ou até mesmo de frequentar torneios profissionais da modalidade neste período de sua pena.

Em janeiro passado, o mundo do tênis viu sua reputação ser abalada por acusações de que as autoridades do esporte fracassaram no controle de apostas generalizadas praticadas por tenistas em jogos da modalidade, que estaria sendo prejudicada por manipulações de resultados. As autoridades, por sua vez, negaram relatos da mídia de que 16 jogadores que fizeram parte do Top 50 do ranking estavam sendo investigados de forma constante pela TIU por suspeita de envolvimento em apostas na última década.