Vôlei: Finlândia condena à prisão cinco jogadores cubanos por estupro

Quatro dos réus foram condenados a cinco anos de prisão, enquanto um quinto recebeu uma pena de três anos e meio

por Agência Estado

Campinas, SP, 20 - Um tribunal finlandês condenou à prisão nesta terça-feira por estupro com agravantes cinco membros da seleção cubana de vôlei. Além disso, eles devem pagar um total de 24 mil euros (aproximadamente R$ 88 mil) em compensação para a vítima.

Quatro dos réus foram condenados a cinco anos de prisão, enquanto um quinto recebeu uma pena de três anos e meio. O Tribunal do Distrito de Pirkanmaa absolveu um sexto acusado, que estava detido pela polícia na cidade de Tampere. O julgamento foi realizado à portas fechadas.

Os homens negaram as acusações e disseram que eles são inocentes. Ainda não está definido se os cinco condenados vão recorrer da sentença. Alguns disseram que haviam tido uma relação sexual com a vítima finlandesa, mas negaram que tivesse ocorrido uma violação.

Quatro dos réus foram condenados a cinco anos de prisão, enquanto um quinto recebeu uma pena de três anos e meio - Divulgação/FIVB
Quatro dos réus foram condenados a cinco anos de prisão, enquanto um quinto recebeu uma pena de três anos e meio
Osmany Santiago Uriarte Mestre, Norberto Ricardo Calvo Manzano, Abrahan Alfonso Gavilan e Rolando Cepeda Abreu foram condenados a cinco anos de prisão. Sosa Tomas Luis Sierra recebeu uma pena de três anos e meio.

O CASO
Oito membros da equipe de vôlei de Cuba foram detidos no início de julho após acusações de que uma mulher havia sido estuprada em um hotel onde a equipe estava hospedado em Tampere, 170 quilômetros ao norte da capital Helsinque. Dois foram liberado sem acusação.

As prisões foram realizadas durante compromissos pela Liga Mundial de Vôlei na cidade finlandesa. Durante o processo, a Federação Cubana de Vôlei reconheceu as prisões e disse que a investigação parecia indicar atos dos jogadores contrários à "disciplina, senso de honra e respeito que governam nosso esporte e nossa sociedade".