Rio 2016: Jefinho marca duas vezes e Brasil vai em busca do tetra no futebol de 5

A atuação de gala do atacante foi reconhecida pelo público, que no fim do jogo gritou em coro que "ah, o Jefinho é melhor que Neymar"

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ, 15 (AFI) - Exibindo belos dribles, gols bonitos e jogando sempre com a cabeça erguida, a seleção brasileira de futebol de 5 venceu as três primeiras competições nos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro e agora se encaminha para o tetra. Isso porque, nesta quinta-feira, o Brasil superou a China por 2 a 1 em uma das semifinais e se classificou para a decisão, que acontecerá no sábado diante do vencedor de Argentina e Irã.

No futebol de 5, apenas os goleiros não são cegos. A bola possui guizos internos para que os jogadores que correm pelo gramado sintético possam localizá-la. Por isso, o silêncio da torcida precisa ser total. Mas isso tem sido uma dificuldade na arena onde a competição é disputada. É difícil para o torcedor brasileiro não soltar um grito de apoio no meio do jogo, vibrar com uma jogada bem executada e, principalmente, não xingar o árbitro em alguma marcação duvidosa.

Nesta quinta, o duelo com os chineses foi duro. Um dos principais nomes do Brasil na modalidade, Ricardinho foi atingido no rosto aos 9 minutos - a partida é jogada em dois tempos de 25 -, sofreu um corte e sangrou muito. Foi atendido fora de campo e ficou até os 18 sem voltar ao gramado. No segundo tempo, começou entre os reservas e entrou aos 10, saindo novamente mais tarde.

Na ausência de Ricardinho, quem chamou a responsabilidade foi o outro craque do time, Jefinho. O atacante das arrancadas desabaladas para o ataque marcou duas vezes. No primeiro, quando o Brasil perdia por 1 a 0, ele saiu com a bola dominada da direita para o meio da quadra e chutou cruzado, com a bola batendo na trave antes de entrar. No segundo, ele saiu da defesa, atravessou o campo deixando três adversários para trás e mandou no ângulo direito, marcando um golaço.

A atuação de gala do atacante foi reconhecida pelo público, que no fim do jogo gritou em coro que "ah, o Jefinho é melhor que Neymar".

Com a vitória, o Brasil se mantém em invicto em Paralimpíadas. A modalidade é disputada desde os Jogos de Atenas-2004. De lá para cá, só deu Brasil. No sábado, Jefinho, Ricardinho e companhia têm a chance de manter essa escrita por mais quatro anos.