Série B: João Ananias e Esquerdinha confiantes no acesso do Náutico

O volante João Ananias, uma das principais peças do setor defensivo alvirrubro, disse que a ansiedade é grande

por Agência Futebol Interior

Recife, PE, 22 (AFI) – A semana de trabalho para a partida decisiva contra o Oeste pela última rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, sábado, às 16h30, na Arena de Pernambuco, vem mexendo com a cabeça dos jogadores do Náutico. Afinal, caso bata a equipe paulista e uma provável combinação de resultados – Vasco empatar no Rio com o Ceará ou o Bahia perder em Goiás para o Atlético (GO) –, o Timbu estará de volta à Primeira Divisão nacional.

O volante João Ananias, uma das principais peças do setor defensivo alvirrubro, disse que a ansiedade é grande. “Queremos que chegue logo o sábado, é uma decisão e, mesmo dependendo de outros resultados, temos que fazer a nossa parte dentro de casa. Espero que a torcida compareça em grande número e faça uma festa bonita para, se Deus quiser, comemorarmos juntos o acesso à Série A”, enfatizou, lembrando que os rivais na luta pelo acesso não terão vida fácil na última rodada.

“O Ceará vai querer fazer um grande jogo diante do Vasco, enquanto o Atlético vai querer fazer a festa do título diante do Bahia em casa”. No Náutico há cerca de oito anos – cinco deles como profissional -, João Ananias se diz muito animado com a possibilidade de ver o clube novamente na Série A.

“É gratificante a gente estar neste jogo final com a possibilidade de subir, pois estamos só a dois pontos do G4. Com o apoio da torcida tentaremos dar o melhor em campo, tocar a bola com tranquilidade e tentar encontrar o caminho do gol”, frisou, destacando que a experiência de Givanildo Oliveira em um momento como esse pesa bastante. “Ele conhece o caminho para o acesso e tem passado bastante confiança para todos nós”.

Um dos destaques na vitória sobre o Tupi (MG), sábado passado, o meia Esquerdinha também falou sobre a confiança aumentada do grupo após a goleada sobre por 4x1 sobre os mineiros, em Juiz de Fora. “A gente ficou muito feliz sim. Pelo placar pode dar até a impressão que foi fácil, mas não foi. O importante é que estamos vivos na vida pelo acesso, mas, particularmente, é a primeira vez que vivo uma situação de termos que vencer o adversário e torcer que outros resultados nos favoreçam. Porém, quando entrarmos em campo, temos que esquecer os outros - Vasco e Bahia - e fazer a nossa parte”.