Da séria lesão ao cinturão: Guilherme Faria disputa título dos penas em evento nos EUA

Após um ano fora do cage, atleta faz primeira luta de MMA fora do Brasil.O lutador se preparou na Team Nogueira Campinas

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 14 (AFI) - Dono de um dos nocautes mais impressionantes no MMA em 2015 e após vencer os percalços de grave uma lesão, o peso-pena Guilherme Faria (15-5) finalmente fará a sua estreia em um evento internacional. Sob os cuidados do Grão-Mestre Paulo Nikolai e do headcoach Leonardo Souza, o lutador de 25 anos se preparou na Team Nogueira Campinas e agora disputa o cinturão até 66kg do Fight Time Promotions 33. O desafio será contra o campeão, americano e invicto Jason Soares (9-0), no próximo dia 21 de outubro, no Magic City Casino, em Miami, nos Estados Unidos.

Faria é radicado em Limeira, no interior de São Paulo, e membro da Team Nikolai, equipe pela qual foi campeão mundial de muay thai em 2014, na Tailândia, berço da modalidade. No ano passado e em sua última luta, chamou atenção pelo brutal nocaute imposto sobre Missael Silva, em setembro, na luta que lhe deu o título do GP dos pesos-penas do XFCi. O que pouca gente sabe, no entanto, é que uma séria lesão trouxe muita insegurança em meio à carreira que já soma vinte lutas.

Guilherme Faria fará sua estreia em eventos internacionais (Foto: Divulgação/XFCi)
Guilherme Faria fará sua estreia em eventos internacionais (Foto: Divulgação/XFCi)

DRAMA...
Há cerca de quatro anos, o atleta sentiu algo estranho durante após os treinamentos. Era o pescoço que começava a travar. O uso de relaxantes musculares até atenuava o problema, mas logo vieram outros sintomas como dedos com formigamento e braço direito sem força.

Após passar por um ortopedista e um neurologista, um diagnóstico preocupante chegou. Hérnias de disco em duas vértebras localizadas no pescoço forçaram uma séria recomendação médica: Faria devia abandonar as lutas sob o risco de ficar paraplégico.

O lutador então começou uma peregrinação por outros profissionais e só na terceira opinião ouviu que poderia tentar a osteopatia. De acordo com Faria, o tratamento intensivo com Renan Omil Pravatta Pivetta durou três meses e logo os sintomas desapareceram.

Sem lesões e dominante no peso-pena no Brasil, a luta nos Estados Unidas agora servirá para confirmar uma previsão feita em janeiro de 2016. O lutador entrou em uma lista de dez atletas promissores para se ficar de olho neste ano, elaborada por um site especializado. A publicação ressaltou que Faria nocauteou sete de 11 adversários ainda no primeiro round.