Elenco do Inter se une para pedir que última rodada seja cancelada

Curiosamente, o vice-presidente de futebol, Fernando Carvalho, chegou a falar em tragédia pessoal ao falar sobre o cancelamento

por Agência Estado

Porto Alegr, RS - Ameaçado de rebaixamento, o elenco do Internacional se apresentou completo diante da imprensa nesta quinta-feira para defender o cancelamento da última rodada do Campeonato Brasileiro. Se a competição acabasse agora, o Inter, no 17.º lugar, cairia para a Série B. Poderia, entretanto, questionar depois esse rebaixamento.

O meia Alex foi o porta-voz dos jogadores. "A gente gostaria de deixar bem claro, por uma questão de respeito e emocional, que não teríamos condições de jogar a última partida. Como somos profissionais, respeitamos hierarquias, leis e regras. Se houver, vamos cumprir. O nosso sentimento com a situação toda, pelo que sentimos, é de não ter rodada", disse o jogador.

É um posicionamento muito distinto do vice-presidente de futebol, Fernando Carvalho, que em uma entrevista na terça-feira criticou o adiamento da última rodada do próximo domingo para o dia 11. Para ele, o Internacional foi prejudicado com a decisão, uma vez que os times deveriam entrar em campo no domingo que vem, cinco dias após a tragédia com o elenco da Chapecoense.

Alex foi o porta-voz dos jogadores ao pedir o cancelamento da última rodada
Alex foi o porta-voz dos jogadores ao pedir o cancelamento da última rodada
O dirigente ainda comparou o acidente aéreo com a "tragédia pessoal" do Inter. Voltou atrás depois, pedindo desculpas, mas o estrago já estava feito. "A gente quer dizer que se fala muita coisa, mas, para ser bem direto, não se comparam as situações e o momento mais do que excepcional de tristeza. O campeonato fica nessa dúvida. Não tem tabela, não tem nada", reforçou Alex.

Depois de os jogadores se pronunciarem, o presidente do Inter, Victorio Piffero, falou com a imprensa e comentou a denúncia apresentada pelo clube no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) contra o Vitória. Afirmou que o Inter tem direito de buscar o tapetão.

"Não há clube no Brasil que tenha tanta autoridade para recorrer à Justiça Desportiva quanto o Inter. Em 2005, perdemos (o título) na Justiça. O Inter teria sido campeão em 2005. Nos tomaram na mão grande. Ninguém tem mais autoridade que nós por buscar o reconhecimento desta situação, que poderá reverter em pontos", opinou.