Lisca diz que erro de juiz 'doeu muito'; presidente vê Inter 'garfado' em derrota

A derrota por 1 a 0 para o Corinthians marcou a estreia do novo treinaor no comando do time colorado

por Agência Estado

São Paulo, SP, 22 - A derrota por 1 a 0 para o Corinthians, sofrida na noite desta segunda-feira, no Itaquerão, complicou ainda mais a vida do Internacional em sua luta contra o rebaixamento. O resultado fez a equipe gaúcha estacionar na 17ª posição, com 39 pontos, a duas rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro.

O duelo, por sinal, marcou a estreia do técnico Lisca no comando do time colorado, no qual ele viu o árbitro paranaense Rodolpho Toski Marques marcar pênalti inexistente de Ernando no segundo tempo, quando Marlone fez a cobrança que decidiu o triunfo corintiano. Ao comentar o erro do juiz, o treinador não escondeu a decepção e o abalo causado pela derrota que fará o Inter correr o risco de ser rebaixado já nesta penúltima rodada.

"Perdi o Vitinho por uma lesão, o Sasha também, mas pedi para ele ficar mais um pouco. O Seijas foi para o jogo. No segundo tempo, estávamos bem nos 10 minutos. Depois teve o lance capital. É um absurdo, duro, difícil. O time brigou, mas não conseguiu ser efetivo e ainda sofre um gol desses, num lance totalmente morto. Vendo o lance agora (pela TV após o confronto), doeu muito", afirmou o comandante, em entrevista coletiva.

Para completar o estrago, o treinador ainda viu alguns jogadores de sua equipe se lesionarem diante do Corinthians, fato que trará problemas ao treinador para escalar o time para o jogo diante do Cruzeiro, domingo, no Beira-Rio, pela penúltima rodada do Brasileirão.

Vitinho, Sasha e Aylon precisaram ser substituídos na partida desta segunda-feira por causa de lesões, fato que tornou ainda mais amarga a derrota em São Paulo.

'GARFADO' - E o revés sofrido após o erro da arbitragem também não deixou de ser comentado de forma indignada pelo presidente do Inter, Vitorio Piffero, no Itaquerão.

"Mais uma vez, o Inter vem a São Paulo e é garfado pela arbitragem. Em 2005 foi assim, 2009 foi e hoje de novo. Três jogos decisivos e nós violentamente garfado. Pênalti totalmente inexistente, inventado pela arbitragem", reclamou o dirigente, em entrevista coletiva, na qual em seguida enfatizou que o erro cometido pelo juiz acabou mudando o panorama da partida de forma negativa para os colorados.

"Até o pênalti, o jogo era parelho. O Inter estava bem postado. Jogou pela cartilha. Fez o que foi combinado. Aí, com o pênalti, virou outro jogo. Tentamos, mas não conseguimos. É revoltante. Nos roubaram um ponto hoje. É isso", ressaltou.