Série C: Talentoso, Luca Marchioni se destacou na péssima campanha do Guaratinguetá

Ambidestro e dono de um chute potente, o habilidoso meia destoou do restante do elenco responsável pelo rebaixamento para Série D

por Agência Futebol Interior

Guaratinguetá, SP, 15 (AFI) - O calvário do Guaratinguetá no Campeonato Brasileiro da Série C chega ao fim neste final de semana. O rebaixamento anunciado se confirma com a pior campanha da história nessa competição. O ano só não foi totalmente ruim porque o clube, apesar da péssima estrutura, conseguiu revelar um talento. Dono de um chute potente e um toque de bola refinado, seu passe lembra alguns meias dos anos 70 também pelo raciocínio rápido e pela precisão de suas decisões. É brasileiro mas atende pelo nome e sobrenome italianos: Luca Marchioni.

Ambidestro, também traz uma marca típica dos jogadores europeus: o chute de fora da área. O biotipo idem: 1m86, 82 quilos. Outra marca é a determinação. Nos dois últimos jogos, atuou com o nariz quebrado. A fratura foi num choque com o goleiro Neneca, do Botafogo, há quatro rodadas. Mesmo assim, só ficou fora do jogo seguinte, contra a Tombense, em Tombos.

"Preferi atrasar a cirurgia", revela o jogador. "Seria muito mais doído ficar fora da competição justamente num momento importante da minha carreira".

Apesar da campanha na Série C, Luca Marchioni se destacou no Guaratinguetá (Foto: Reprodução / Twitter)
Apesar da campanha na Série C, Luca Marchioni se destacou no Guaratinguetá (Foto: Reprodução / Twitter)

COBIÇADO!
Luca já atraiu a atenção de alguns clubes da própria Série C. O empresário espanhol Alberto Paez também acenou com a possibilidade de voltar ao futebol europeu na próxima janela. Aos 19 anos, Luca fez um estágio no Atlético de Madrid e deixou as portas abertas.

O argentino Mena gostou do atleta mas um impasse financeiro acabou atrasando a negociação. Hoje, aos 22 anos, está mais bem mais forte fisicamente e muito mais experiente.

A prioridade, no momento, é a recuperação da fratura no nariz. A cirurgia está marcada.

"É um procedimento simples mas necessário, principalmente para um atleta", alerta o otorrino, dr. Marcel Menon, Miyake.

Nos últimos jogos, Luca teve que respirar mais pela boca do que pelo nariz.
"Atrapalha para jogar e até para dormir. A boca seca, interrompe o sono. Mas sei que faz parte".

VAI BATER ASAS...
O futuro do meia atacante será bem longe do Guaratinguetá. O meia-atacante não tem mágoas do clube mas precisa de uma alternativa mais profissional. Os seus representantes estudam três propostas do futebol brasileiro.

A ideia é dar seguimento ao plano de carreira. Disputar um campeonato regional num time com melhor estrutura é fundamental. Fazer uma pré temporada decente e evoluir tanto quanto for possível. E o mais importante: com o final do contrato com o Guaratinguetá em 30 de novembro, está livre para negociar com qualquer clube.