Guarani tem pena branda por confusão contra Boa e Ferreira toma 180 dias

O Bugre foi punido apenas com a perda de um mando de campo, que será cumprido na Série B do Brasileiro

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 25 (AFI) - O Superior Tribunal de Justiça (STJD) julgou nesta sexta-feira o Guarani pela confusão causada por seus torcedores na final do Campeonato Brasileiro da Série C, diante do Boa Esporte, em Varginha (MG), após a derrota do time por 3 a 0. O clube campineiro pegou pena considerada branda por ser reincidente, perda de um mando de jogo, enquanto o zagueiro Ferreira, que agrediu o árbitro Marcos Mateus Pereira, levou uma suspensão de 180 dias.

O Guarani foi denunciado por não prevenir e reprimir desordens e lançamento de objetos. Pelos fatos, respondeu ao artigo 213, §1º e 2º, por duas vezes, na forma do artigo 184 que pediu o somatório das penas. A Procuradoria queria a punição máxima ao clube campineiro - perda de 20 mando de campos -, mas acabou com apenas um.

Ferreira esteve no julgamento, mas não conseguiu evitar pena dura - Wellington Campos
Ferreira esteve no julgamento, mas não conseguiu evitar pena dura

Vice-campeão da Série C, o Guarani era ainda tratado como reincidente, já que também perdeu um mando de campo após confusão durante o jogo contra o ASA, nas quartas de final.

Sendo assim, o clube realizará os dois primeiros jogos da Série B com portões fechados, além de arcar com uma multa de R$ 20 mil.

ZAGUEIRO SUSPENSO
Se o Guarani pegou uma prenda consideravelmente branda, o mesmo não pode-se dizer sobre o zagueiro Ferreira.

Denunciado por praticar jogada violenta (artigo 254) e agressão física contra a arbitragem (artigo 254-A, §3º), o jogador acabou sendo suspenso por 180 dias, mesma pena imposta ao atacante Dudu, do Palmeiras, quando empurrou Guilherme Ceretta de Lima, na final do Paulistão de 2015, contra o Santos. O palmeirense acabou fazendo um acordo com STJD e reverteu a punição para seis jogos, após cumprir uma pena inicial de 15 dias fora dos gramados.

O jogador, um dos destaques do Guarani na Série C, perdeu a cabeça durante a goleada do Boa Esporte e acabou empurrando o árbitro após receber o cartão vermelho por acertar uma cotovelada no jogador rival. Ele ainda derrubou um companheiro de equipe, antes de ser contido pelos policiais.

VIDA QUE SEGUE
O Guarani começa a reformular o seu elenco para a temporada 2017. O clube campineiro já encaminhou a renovação contratual de sete jogadores. São eles: Lenon e Fumagalli, que resolveram suas respectivas situações logo após a Série C, além de Leandro Santos, Gilton, Leandro Amaro, Evandro e Renato Henrique.