Horley Senna completa dois anos como presidente do Guarani

A administração bugrina vem dando resultado e o time correspondeu dentro de campo com o acesso à Série B

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 12 (AFI) - A gestão de Horley Senna como presidente do Guarani está completando dois anos e os resultados não poderiam ter sido mais expressivos. Além do acesso para a Série B, conquistado no último sábado, administrativamente o Guarani vem sendo recuperado após quinze anos de catastróficas gestões.

Com o histórico de principal clube do interior do Brasil, o Guarani começou a naufragar após a saída de Beto Zini da presidência em 1999 e somente agora vem dando sinais de recuperação.
Conselho de Administração completa 24 meses e põe o Guarani no rumo certo para a recuperação
Conselho de Administração completa 24 meses e põe o Guarani no rumo certo para a recuperação

Depois de inúmeros rebaixamentos, Horley Senna assumiu o clube no final do Campeonato Brasileiro da Série C de 2.014 e, quase conseguiu levar o time para a segunda fase, assim como na temporada de 2015. Em 2016, com um tempo maior de planejamento, o Guarani fez a melhor campanha de toda a Série C, culminando com o acesso para a Série B, em cima do ASA-AL, no último sábado.

Nos dois certames estaduais da A2 que disputou com Horley Senna sendo o presidente, o Guarani ainda encontrou resistência para a montagem do time em razão da falta de credibilidade do clube, principalmente em razão da gestão de Leonel Martins de Oliveira (2006/2012), mas ainda assim a equipe fez campanha regular, objetivando o acesso para 2017.

PROCESSOS TRABALHISTAS RESOLVIDOS
O maior problema do Guarani, que eram os inúmeros processos trabalhistas, e, após um acerto judicial envolvendo o Grupo Magnum, são poucas as demandas ainda existentes e, a possibilidade de novos processos, são cada dia menores, já que o Guarani vem pagando em dia os jogadores e os integrantes do departamento de futebol do clube.

No acordo judicial, a atual diretoria do Guarani conseguiu junto a Magnum um aporte mensal de R$ 350.000,00 e a construção de um novo estádio, já que o Brinco de Ouro será utilizado comercialmente.

Da esquerda: Mauro Silva, Reinaldo Carneiro, presidente da FPF, Horley e Fernando Sollero, vice da FPF
Da esquerda: Mauro Silva, Reinaldo Carneiro, presidente da FPF, Horley e Fernando Sollero, vice da FPF

RESPEITO DA FEDERAÇÃO PAULISTA
Paralelamente as questões do futebol e administrativa, o Guarani vem se reorganizando como clube e voltando a ter credibilidade com outros clubes e com a FPF e CBF.

Depois de mais de vinte anos sem que um presidente da FPF estivesse acompanhando uma partida do Guarani, no último sábado, o presidente da Federação Paulista, Reinaldo Carneiro Bastos, e a alta cúpula da FPF, estiveram acompanhando a decisiva partida do Guarani contra o ASA.

Humilde, Horley Senna prefere dividir os méritos com os demais dirigentes, principalmente os integrantes do Conselho de Administração, já que o estatuto bugrino é “parlamentarista”, dando poderes a um órgão colegiado.

Além de Horley Senna, integram o Conselho de Administração do Guarani, Assis Eurípedes de Oliveira, Carlos Aparecido Queiroz e Gustavo Moura Tavares.