Carlos Batista mita, viraliza e comenta emoção em acesso do Guarani

Em contato com o Futebol Interior, principal nome da imprensa esportiva de Campinas contou o que aconteceu naquela fração de segundos

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 11 (AFI) - Além do acesso bugrino à Série B, outro fato que marcou o duelo entre Guarani e Asa, pelas quartas de final do Campeonato Brasileiro da Série C, foi a emocionante narração de Carlos Batista na Rádio Bandeirantes. Instantes antes de o árbitro Elmo Alves Resende Cunha encerrar o duelo, Batista pediu para o juiz "acabar essa porra".

Em contato exclusivo com o Portal Futebol Interior, Carlos Batista, principal nome da imprensa esportiva de Campinas, contou o que aconteceu naquela fração de segundos.

"Não preparei nada. Saiu na emoção. Estava tentando transmitir a indignação da torcida bugrina, que pedia o final da partida. Acabou saindo de uma forma espontânea e natural, imaginando o torcedor, tanto que nem toquei na hora. Só fui perceber o que tinha dito quinze minutos depois, quando o Marcio Luis me mandou um link, já que a narração já tinha viralizado", afirmou.

Narração de Batista viralizou
Narração de Batista viralizou

Ele ainda lembrou de um episódio marcante na história do estádio Brinco de Ouro da Princesa.

"O Asa estava atacando, naquele momento, me lembrei da final do Brasileirão de 1986, quando, na última bola, o São Paulo empatou a partida com o Careca e levou a disputa para os pênaltis. E o Bugre acabou perdendo aquela decisão".

"Então, fiquei com muito medo, fiquei temeroso de que, se Asa empatasse, o Guarani pudesse perder nos pênaltis. Geralmente, o time que consegue o gol no final vai com o psicológico elevado e costuma ganhar as partidas. Então, esse foi meu receio", explicou Batista.

Ele ainda disse que ficou surpreso com a repercussão da narração na internet e contou que está tranquilo quanto a isso.

"Não imaginava que iria viralizar, saiu na emoção mesmo. Acho que o palavrão, quando tem um contexto, é permitido. Esse foi o caso, ainda mais porra, que é uma fala comum, que a gente usa tanto. O que não pode é o palavrão pelo palavrão, isso é errado, mas naquela circunstância, o estádio inteiro tenso, nervoso, foi natural, espontâneo, completou a comunicação com os ouvintes", completou Batista, que entrou para a história do jornalismo campineiro com uma das narrações mais emocionantes de todos os tempos

PREVISÃO DO GOL
Pouco antes do primeiro gol do Guarani, o comentarista Valdemir Gomes, também da Rádio Bandeirantes, fez a previsão de que, naquele lance, surgiria o tento inaugural da partida. Antes mesmo de Batista fazer a narração, Valdenir Gomes abriu o microfone e disse:

"Prestem atenção! Nesse lance vai sair o primeiro gol bugrino", previra. E assim, de fato, aconteceu.