Juíza do Trabalho revela "forcinha" da Justiça para tentar ajudar Guarani

Sofia Lima Dutra afirmou, em nota, das inúmeras soluções apresentadas à diretoria do Bugre

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 30 (AFI) – Aconteceu na tarde desta quarta-feira, o leilão do Estádio Brinco de Ouro, na sede na 1ª Vara da Justiça do Trabalho de Campinas. Mas apesar das muitas especulações, nenhuma empresa arrematou os 70% do terreno que pertence ao Guarani.

Após o leilão, a assessoria da juíza Sofia Lima Dutra divulgou para a imprensa uma carta esclarecendo valores e motivos do processo, no qual o Bugre está vivenciando.

Segundo o documento, a Justiça do Trabalho tem se esforçado no sentido de efetuar o pagamento dos direitos dos trabalhadores, promovendo audiências de conciliação e solicitando à Diretoria do Clube a elaboração de um plano de pagamento. Muitas tratativas foram realizadas ao longo dos últimos anos.

Confira a Nota à Imprensa

O Guarani Futebol Clube possui processos trabalhistas em trâmite no Fórum Trabalhista de Campinas que somam uma dívida de cerca de R$ 50 milhões. O processo que conduz todas as execuções é datado de 2001. Além desses processos em fase de execução, somente em 2011, por exemplo, foram ajuizados mais de 70 novos processos.

A Justiça do Trabalho tem se esforçado no sentido de efetuar o pagamento dos direitos dos trabalhadores, promovendo audiências de conciliação e solicitando à Diretoria do Clube a elaboração de um plano de pagamento. Muitas tratativas foram realizadas ao longo dos últimos anos.
Só na 1ª Vara do Trabalho de Campinas o valor gira em torno de R$ 7 milhões.

Não restou alternativa à juíza Sofia Lima Dutra, que determinou a realização do leilão de Estádio do Clube para saldar a dívida. Realizado nesta quarta-feira, dia 30 de outubro, na sede do Fórum Trabalhista de Campinas, o leilão não obteve sucesso. A Justiça do Trabalho busca atuar em prol da solução dos processos e novo leilão pode ser designado.

Entenda o caso
O leilão do Brinco é fruto de uma série de processos trabalhistas que o clube acumulou nos últimos anos. Neste caso específico há um processo do ex-lateral esquerdo Gustavo Nery, no valor aproximado de R$ 1,5 milhão, que somado a outras quatro ações dá um valor aproximado de R$ 5 milhões.

O time alviverde trava uma batalha jurídica para impedir o leilão de seu patrimônio desde 2010. O clube conseguiu cancelar os leilões em três oportunidades para ganhar tempo, sendo que em uma delas transferiu a dívida para um terreno à beira da Rodovia dos Bandeirantes.

O local chegou a ir a leilão, mas não houve interessados. Desta vez, apesar de várias tentativas dna Justiça, o departamento jurídico não conseguiu um novo cancelamento.

Mercado da Bola
Contratações
Não houve contratações no período
  • Diego Tabata

    Volante (ex-Aracruz)

  • Douglas Packer

    Meia (ex-Caxias)

  • Eduardo

    Lateral (ex-Osasco Audax)

  • Flávio Caça-Rato

    Atacante (ex-Remo)

  • João Paulo

    Volante (ex-Osasco Audax)

  • Lucas Bahia

    Zagueiro (ex-ASA)

  • Mário Sérgio

    Lateral (ex-Goiás)

  • Mateus Alves

    Zagueiro (ex-Caldense)

  • Max

    Atacante (ex-América-RN)

  • Rafael Gatti

    Goleiro (ex-Mirassol)

  • Ricardinho

    Atacante (ex-Icasa)

Guarani-SP
Elenco ainda não definido
  • Goleiros

    Rafael Gatti, Passarelli e Pegorari

  • Laterais

    Eduardo, Mário Sérgio, Denis Neves e Oziel

  • Zagueiros

    Léo Rigo, Wesley, Mateus Alves, Thiago Carpini e Lucas Bahia

  • Volantes

    João Paulo, Lenon e Diego Tabata

  • Meias

    Douglas Packer, Daniel Salameni, Valdeir, João Vittor, Fumagalli e Watson

  • Atacantes

    Lohan, Max, Ricardinho, Raí e Flávio Caça-Rato

  • Técnico

    Pintado