Grêmio 1 x 2 Huachipato-CHI - Que "pojeto" é este "pofexô"?

Nem mesmo o caminhão de reforços foi suficiente para uma estreia digna

por Agência Futebol Interior

Porto Alegre, RS, 14 (AFI) – O tal do “projeto” que sempre é exaltado por Vanderlei Luxemburgo deve estar com algum defeito. Time brasileiro que mais contratou na Libertadores, o Grêmio decepcionou em sua estreia e perdeu para o modesto Huachipato-CHI, por 2 a 1, na noite desta quinta-feira. Foi a primeira derrota gremista na nova Arena.

Nem mesmo a presença do estreante Barcos, contratado Palmeiras, fez o Tricolor apresentar uma boa exibição. Demonstrando clara falta de entrosamento, os gaúchos se depararam com um adversário muito disciplinado taticamente e que neutralizou as principais jogadas brasileiras.

Foto: Lucas Uebel

O resultado fica ainda mais trágico, já que o Grêmio perde em casa em um grupo que tem o Fluminense como favorito. O Tricolor das Laranjeiras, agora, divide a liderança do Grupo 8, com três pontos, ao lado do Huachipato.

Surpresa chilena
Pouco conhecido do futebol brasileiro, o Huachipato surpreendeu o Grêmio com uma postura sólida na defesa e saída rápida na transição entre defesa e ataque. Antes dos 15 minutos, os visitantes já haviam exigido duas grandes defesas do goleiro Marcelo Grohe, em finalizações do volante Sandoval e do atacante Falcone.

Se nas duas primeiras oportunidades o camisa 1 salvou, na terceira ele nada pôde fazer. Aos 17 minutos, o atacante Rodríguez escapou pela direita e cruzou rasteiro. O atacante Falcone apareceu livre na área e mandou de primeira para o gol.

Apoiado pela torcida, o Tricolor tentou pressionar, mas sentiu grandes dificuldades para chegar à meta do goleiro Veloso. O primeiro lance de perigo dos gaúchos, contudo, aconteceu somente aos 34 minutos. O meia Elano chutou forte, da entrada da área, e Veloso espalmou para escanteio.

Antes do término da primeira etapa, contudo, os chilenos criaram mais duas boas chances. Aos 44 minutos, Rodríguez finalizou e Marcelo Grohe mandou para escanteio. Um minuto depois, o mesmo Rodríguez passou pelo zagueiro Saimon, invadiu a área, mas o goleiro gremista fechou o ângulo e impediu o gol.

Ferrolho funciona
No período final, o Grêmio praticamente não teve tempo para conseguir o gol de empate. Logo aos cinco minutos, o Huachipato conseguiu ampliar o placar. O lateral-direito Contreras cruzou na área e Rodríguez, novamente, se antecipou a Saimon e mandou de cabeça para o gol.

O Tricolor conseguiu se manter vivo na partida, já que conseguiu diminuir três minutos depois. O atacante Barcos tentou finalizar e Contreras tocou a mão na bola, dentro da área. Na cobrança do pênalti, o próprio argentino esbanjou categoria e mandou no canto direito.

A partir do gol a partida foi dramática. Os visitantes se fecharam na defesa e o Grêmio foi para o tudo ou nada. Aos 25 minutos, o meia Zé Roberto recebeu passe do ala Pará, na área, mas mandou de perna direita, por cima do gol. O gol de empate não saiu por um capricho.

Nos minutos finais, a tensão vinda das arquibancadas prejudicou o time, que sentiu a pressão e encontrou grandes dificuldades para concluir a gol. Na única oportunidade criada no final, faltou pontaria ao atacante Welliton. O meia Zé Roberto fez grande jogada individual e cruzou para o jogador, que mandou de tornozelo para fora.

Próximos jogos
Na próxima quarta-feira, às 22 horas, o Grêmio volta a campo para o complicado duelo contra o Fluminense, no Engenhão, no Rio de Janeiro. Enquanto isso, o Huachipato encara o Caracas, no mesmo dia, às 19h45 (horário de Brasília), no Estádio CAP, em Talcahuano.

Ficha Técnica

Fase
Fase de Grupos
Rodada
1ª rodada
Data
14/02/2013
Horário
19h45
Local
Estádio Olímpico, em, Porto Alegre (RS) - RS
Árbitro
Diego Abal-ARG

Assistentes
Hernan Maidana-ARG e Juan Belatti-ARG
Renda
R$ 1.276.060,00

Público
28.164 pagantes (29.174 total)
Grêmio-BRA
Marcelo Grohe; Pará, Cris, Saimon e André Santos (Marco Antônio); Adriano (Marcelo Moreno), Souza, Elano e Zé Roberto; Vargas (Welliton) e Barcos
Técnico: Vanderlei Luxemburgo
Huachipato-CHI
Veloso; Contreras, Labrín, Muñoz e Crovetto; Sandoval, Yedro, Arrué (Aceval) e Reynero (Nuñez); Falcone (González) e Rodríguez.
Técnico: Jorge Pellicer