Sérgio Rassi, do Goiás, revela que negociava com três jogadores da Chapecoense

Neto foi socorrido com vivo e está internado na Colômbia, enquanto Ananias e Bruno Rangel faleceram após o acidente

por Agência Futebol Interior

Goiânia, GO, 30 (AFI) - Após a campanha decepcionante no Campeonato Brasileiro da Série B, o Goiás vai começar 2017 pressionado pelos torcedores e por isso pretende qualificar o elenco do técnico Gilson Kleina. Em entrevista à Rádio 730, de Goiânia, o presidente Sérgio Rassi revelou que vinha negociando com três jogadores da Chapecoense envolvidos na tragédia da última terça-feira.

O zagueiro Neto e o atacante Ananias estavam com as conversas bem adiantadas e as chances de defenderem o Goiás na próxima temporada eram grandes. O artilheiro Bruno Rangel também havia sido procurado pela diretoria esmeraldina. Dos três, apenas Neto foi socorrido com vida e ainda está internado na Colômbia. Rangel e Ananias vieram a óbito com a queda do avião.

Um dos únicos que sobreviveram ao acidente, o zagueiro Neto tinha conversas adiantadas com o Goiás
Um dos únicos que sobreviveram ao acidente, o zagueiro Neto tinha conversas adiantadas com o Goiás
"Nós negociávamos com três jogadores da Chapecoense para o ano que vem. O Bruno Rangel, o Neto e o Ananias. Esses dois últimos com conversas bem avançadas. Tivemos contato com os próprios jogadores e com os empresários. É realmente muito triste, um clube em ascensão, com uma administração modelo", lamentou Sérgio Rassi.

O mandatário esmeraldino também lamentou as mortes de Caio Júnior e Gimenez, que passaram pelo Goiás recentemente. O treinador comandou o Verdão em 2008, enquanto o lateral-direito defendeu o clube no ano passado. Ele, inclusive, foi uma contratação feita por Sérgio Rassi depois de se destacar pelo Botafogo-SP.

"Na época do Caio Júnior eu não era dirigente, mas tive contatos com ele como torcedor. Uma pessoa séria, fez um trabalho muito correto, acabou se despedindo com uma derrota para o Itumbiara na final do Goianão. O Gimenez, por sua vez, foi até uma aquisição minha ano passado, negociação que participei diretamente. Um jogador muito quieto, calado, mas cumpridor de todos seus deveres", lembrou Rassi.

Além disso, o Goiás soltou uma nota oficial em seu site lamentando a tragédia que aconteceu na madrugada da última terça-feira, quando o avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín-COL, local da partida que seria realizada nesta quarta-feira contra o Independiente de Medellín, pela final da Copa Sul-Americana, caiu e matou 71 pessoas. Apenas o goleiro Follmann, o zagueiro Neto e o lateral Alan Rushel sobreviveram.