Palpitão Libertadores: O Tricolor e a reconquista da América

por Agência Futebol Interior

Campinas, SP, 01 (AFI) - A Copa Libertadores da América começa com o mesmo equilíbrio de todos os anos. Atual campeã, a LDU aposta na força da altitude para conquistar um bicampeonato que não acontece desde 2000/01, quando o Boca Juniors (que também disputará a edição de 2009) levantou a taça.

Veja mais...
Grupos praticamente definidos na Libertadores

O Boca tem em Riquelme a grande aposta do clube, enquanto o River Plate tenta a todo custo repatriar reforços de peso para conquistar um inédito tricampeonato continental. O consagrado Peñarol está de volta ao torneio, mas pinta como zebra, apesar da tradição.

Enquanto isso, o futebol brasileiro apresenta cinco times capazes de fazer boas campanhas e reconquistar a América. São Paulo, Cruzeiro, Palmeiras, Grêmio e Sport são os candidatos da vez, e têm armas poderosas em seu elenco.

Campeão. Será?
Dos clubes já garantidos na Libertadores, quem tem mais pinta de campeão é o São Paulo. Após os fiascos de 2007 e 2008, o time do Morumbi se reforçou bem no começo da temporada e terá uma equipe mais homogênea em todas as posições do elenco.

Para conquistar a Libertadores pela quarta vez, o Tricolor trouxe os laterais Wagner Diniz e Júnior César, o zagueiro Renato Silva, o volante Eduardo Costa e o atacante Washington, que deve brigar pela artilharia do torneio, como em 2008.

Com reforços contratados e a base mantida (Miranda, Hernanes e Dagoberto garantem que ficam), o Sampa é o grande favorito a conquistar o torneio no primeiro semestre. Pedreiras o aguardam no espinhoso caminho, mas o São Paulo tem força suficiente para ultrapassar os percalços e levantar a Taça Libertadores novamente.

Decepção?
O Palmeiras não deve ir muito longe no torneio. Principal objetivo do técnico Vanderlei Luxemburgo, a Libertadores deve passar rapidamente pelo Palestra Itália. A fragilidade do time e a falta de recursos para contratar devem ser mortais.

Até agora, o Palmeiras trouxe Cleiton Xavier, Marquinhos e Keirrison, que são jovens e não têm nenhuma experiência no torneio. Titulares em 2008, Élder Granja, Roque Júnior, Martinez, Leandro e Alex Mineiro já deixaram o clube. Kléber pode ser o próximo.

Confira também:
Libertadores: Uma tragédia muito maior que o Maracanã

Com isso, o Verdão - que está na pré-Libertadores e, se passar, deve cair no grupo da campeã LDU e do Sport - corre risco até de ficar na primeira fase. Jogar no Equador não é fácil e enfrentar o Leão na Ilha do Retiro é ainda mais difícil. Os retrospectos recentes mostram o Palmeiras fora do mata-mata. Alguém duvida?

Surpresa?
Após cair no mesmo grupo de LDU e com chances de pegar o Palmeiras ainda na primeira fase, o Sport se pergunta: até onde podemos ir? A equipe pernambucana fez um bom papel na última Copa do Brasil, mas, sem ambições no Brasileiro, apenas jogou o básico.

É certo que o Sport tem chances de classificação. O Leão deve usar a Ilha do Retiro a ser favor e, se quiser conquistar a vaga no mata-mata, precisará vencer seus três jogos em casa. Fora, basta somar o maior número de pontos. O Sport deve se classificar para a fase final, mas, mesmo por causa da pouca experiência em torneios internacionais, deve cair fora mais adiante.

Incógnitas: boas ou ruins...
Os outros dois representantes do futebol brasileiro são incógnitas para a Libertadores. Tradicionais no torneio, os bicampeões Cruzeiro e Grêmio contam com a força da camisa e da equipe titular para chegar mais adiante.

Vice-campeões brasileiros, os gremistas apostam na força de sua torcida para chegar longe. O time está desacreditado, como em 2007, quando eliminou os favoritos São Paulo e Santos e só parou no Boca Juniors, na decisão do título.

A equipe gaúcha se reforçou bem. Trouxe Ruy para a lateral-direita e Fábio Santos para a esquerda. Manteve Tcheco e ainda abocanhou dois goleadores: Wellington Paulista e Alex Mineiro. Com este poderio, o Grêmio deve passar tranquilamente pela fase de grupos e brigar pelo título mais à frente.

Já o Cruzeiro ainda não sabe o que quer. A equipe perdeu o ala Jadílson e terá o argentino Sorín em 2009. A permanência de Wagner e Ramires ainda é uma incógnita. O time ainda pode ganhar o reforço do artilheiro Fred, reserva do Lyon.

Se mantiver suas estrelas e repatriar o ex-camisa 9 da Seleção Brasileira, o Cruzeiro chega fácil ao mata-mata. A partir daí, o que vier é lucro. Mas, se perder seus principais jogadores e não contratar peças de reposição suficientes, a equipe de Adilson Batista terá de lamentar mais um ano sem reconquistar a América.