Presidente do Flu confirma acordo e vê 'relação experimental' com a Caixa

O presidente afirmou que os valores obtidos nestes contratos pontuais serão totalmente revertidos para a construção do CT

por Agência Estado

Rio de Janeiro, RJ - O presidente do Fluminense, Peter Siemsen, confirmou nesta terça-feira acordo inicial com a Caixa Econômica Federal. De acordo com o dirigente, inicialmente as duas partes terão uma "relação experimental", visando possível contrato de patrocínio para a temporada 2017 do futebol brasileiro.

Peter Siemsen fala da relação do Flu com a Caixa
Peter Siemsen fala da relação do Flu com a Caixa
Para este ano, Siemsen revelou que poderão surgir acordos pontuais para exibição da marca da Caixa em jogos específicos do Brasileirão. Estas partidas servirão de teste para um eventual acordo permanente no próximo ano.

"Sabemos que falta pouco tempo para o final da temporada, faltam dois meses para o término da temporada, o que significa pouco tempo de exibição da marca", disse o presidente do Flu, justificando a ausência de contrato permanente entre as duas partes até o fim do ano. "Procuramos alternativas e a Caixa não tem orçamento para o ano que vem. No espírito em que negociamos com demais empresas, com a Caixa, a gente optou por ter uma relação experimental."

Siemsen destacou que o acordo está em "fase inicial". "É uma fase inicial. Que as partes possam se entender para que possam ter um projeto em 2017", destacou o mandatário do clube.

O presidente afirmou que os valores obtidos nestes contratos pontuais serão totalmente revertidos para a construção do Centro de Treinamento, na Barra da Tijuca. "É importante conseguir mais recursos para ele. Não tenho dúvida de que será o melhor CT do Brasil. O que vamos apresentar em breve é um detalhamento do que vamos fazer até dezembro. De modo que a gente tenha um valor em 2017 que seja adequado ao que temos de projeto", afirmou.