Copa Paulista: Jackson relembra gol do título da Ferroviária em 2006: 'cabelo ajudou'

Atacante quase ficou de fora da final, mas entrou e marcou aos 42 do segundo tempo

por Federação Paulista (FPF) - São Paulo

Araraquara, SP, 24 - A Ferroviária busca seu segundo título na Copa Paulista. O primeiro jogo contra o XV de Piracicaba terminou com o placar de 2 a 0 para o adversário. Agora, a equipe precisa vencer por 3 gols de diferença para ser campeã no tempo normal, ou dois para levar a decisão para os pênaltis. Se há uma lição de ser tirada do primeiro título, é acreditar até o final.

10 anos atrás, diante do Bragantino, a Ferroviária venceu o primeiro jogo por 1 a 0. O Bragantino jogava por dois resultados iguais e vencia por 1 a 0 até os 42 minutos do segundo tempo. Foi quando Jackson sofreu uma falta perto da linha de meio campo. Após cobrança, o mesmo Jackson desviou a bola para empatar o jogo e fazer o gol do título da equipe grená.
Jackson foi o autor do gol do título da Ferroviária em 2006 (Foto: Acervo Pessoal)
Jackson foi o autor do gol do título da Ferroviária em 2006 (Foto: Acervo Pessoal)

O atacante, hoje aposentado, relembrou aquela conquista. “Nosso grupo era fechado no último. Foi um ano muito bom para mim. No primeiro semestre fui campeão pelo Botafogo e marquei 16 gols. Depois fui para a Ferroviária. Fizemos um bom campeonato com um excelente treinador, que era o Edson Só, e tive a felicidade de ser campeão de novo”, disse.

Titular da equipe, Jackson quase ficou de fora do jogo final. “Na sexta-feira eu me machuquei. O Edson Só me deixou no banco porque eu não aguentaria os 90 minutos. Faltando 10 minutos, tínhamos que empatar, aí entrei. Sofri a falta e na cobrança desviei de cabeça”, recorda o atacante.

Cabelo comprido ajudou Jackson a marcar o gol do título
Cabelo comprido ajudou Jackson a marcar o gol do título
Dono de uma cabeleira inusitada, Jackson conta que o penteado ajudou na hora do gol. “Estava na frente do zagueiro do Bragantino, e depois ele comentou que não enxergou direito a bola por causa do cabelo”, diverte-se.

Sobre a final de 2016, Jackson diz que a situação da Ferroviária é complicada, mas que a torcida de Araraquara pode fazer a diferença. “É um placar difícil de reverter, mas não impossível. A torcida apoiando já ajuda bastante, pois aí serão 12 dentro de campo. Os atletas já estão mais acostumados com o gramado e isso também ajuda. Tem que ter tranquilidade, porque a cobrança existe”, analisou.

Além de Jackson, faziam parte do time campeão pela Ferroviária atletas como Leandro Donizeti, atualmente no Atlético-MG, Francisco Alex e Caiuby, ambos negociados com o São Paulo após a conquista.