Copa Paulista: Dono de melhor campanha, Picoli descarta favoritismo da Ferroviária

Treinador afeano acredita em confronto complicado diante do Nacional, mas confia na força do elenco

por Federação Paulista (FPF) - São Paulo

Araraquara, SP, 17 (AFI) - A Ferroviária venceu o Catanduvense no último final de semana, por 1 a 0, e se classificou na liderança do Grupo 6 da Copa Paulista. De quebra, o time garantiu a melhor campanha na somatória das fases. Apesar disso, o técnico Antônio Picoli descarta qualquer possibilidade de favoritismo e projeta um confronto complicado diante do Nacional.

O treinador afeano fez um balanço desta segunda fase da Ferroviária. “Foi extremamente importante a conquista da vaga. Penso que o grande feito foi mais uma vez ter nos encontrado rapidamente nessa nova etapa da competição”, analisou.

Na primeira fase, a Ferroviária conquistou a primeira vitória apenas no terceiro jogo, assim como aconteceu na segunda etapa. Com dois inícios oscilantes, Picoli sabe que sua equipe terá que ter uma nova postura para não ser eliminada nos dois jogos do mata-mata. “Temos um grande aprendizado. Não teremos tempo se não iniciarmos bem. É um novo campeonato e a maneira é um pouco diferente. É importante fazer um bom primeiro jogo, ter equilíbrio, pois aquela oscilação não se permite para esse tipo de confronto”, ressaltou.

Picoli demonstra humildade para enfrentar o Nacional (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)
Picoli demonstra humildade para enfrentar o Nacional (Foto: Rodrigo Corsi/FPF)
Antônio Picoli ainda fez questão de descartar qualquer possibilidade de favoritismo. “O mata-mata acaba com qualquer favoritismo. Se não souber fazer o primeiro jogo, acabou. Toda a boa campanha não resolve o problema de ninguém. O Nacional tirou uma equipe de A1 e soube fazer uma competição nessa segunda fase, então nos deixa muito atento para enfrentá-los”, explicou.

Ciente da responsabilidade em conduzir um time que está na elite paulista, Picoli alertou seus atletas para enfrentar o Nacional, que hoje disputa a Série A3. “Quando eu era atleta, já fui esse outro lado da moeda e como técnico também. Se o comando deles for consciente, irá explorar esse lado de enfrentar um time de A1. Mas assim como eles, nós também vamos jogar a vida e os atletas que estão conscientes disso”, revelou.

Por fim, o comandante afeano acredita que a juventude do elenco frena deve ser um fator preponderante para a Ferroviária buscar a classificação. “Ai que vem a equivalência das necessidades. O que o Nacional deseja, nós também desejamos. Todos quererem buscar seu espaço para 2017, então entrega e determinação não irão faltar da nossa parte. Só não podemos abrir mão em termos de consistência de trabalho e permanecer dentro da ideia, pois temos colhido bons resultados”, concluiu.

A Ferroviária se prepara para enfrentar o Nacional nas quartas de final. O primeiro confronto acontece em São Paulo e a segunda e decisiva partida está marcada para Araraquara no próximo final de semana. O título da Copa Paulista dá o direito de escolha entre uma vaga na Série D ou na Copa do Brasil.